Províncias

População de Kabale recebeu bens diversos

André Brandão | Ndalatando

Um total de 12 famílias da sanzala de Kabale, a 20 quilómetros da sede municipal do Lucala, província do Cuanza Norte, que viram as suas casas incendiadas por um indivíduo já identificado, beneficiaram de bens diversos, entre género alimentares, material de construção e outros apoios.

Os meios entregues pela Comissão Provincial de Protecção Civil e Bombeiros e a Direcção Provincial do Ministério de Assistência e Reinserção Social (MINARS) à população constam de 180 chapas de zincos, 30 cobertores, 24 bidões de 20 litros, 16 sacos de fuba de milho, seis sacos de arroz, cinco caixas de óleo, três sacos de sal, igual número de caixas de sardinha, atum, leite e sabão.
O representante dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros do Comando Provincial do Cuanza Norte, Ladislau de Sousa, informou que o incêndio de grande proporção e destruição foi o primeiro registado este ano, que afectou 12 famílias.
Ladislau de Sousa aconselhou a população de Kabale a efectuar limpeza no bairro e  pediu que se afastem pelo menos 50 metros do capim, Caminho-de-Ferro e área da reserva florestal, para evitar que situações idênticas voltem a registar-se. O administrador adjunto do município do Lucala, José Teixeira da Conceição, disse que os problemas das pessoas que perderam as suas casas e haveres com o incêndio foram resolvidos.
A Administração Municipal vai continuar a apoiar a população de Kabale, no concernente à reabilitação da estrada, colocação de um fontenário de água potável e criação de outros bens, para combater a pobreza. O soba da sanzala, Paulo Cassoma, disse que na altura do incêndio a sua família encontrava-se na lavra e a pessoa que o provocou pôs-se em fuga, mas já se encontra a contas com a justiça.
“O criminoso disse-nos que não era sua intenção incendiar as casas, mais sim acender o forno para fazer carvão.Contou-nos ainda que quando tomou conhecimento que o incêndio provocou a destruição das casas e bens e até dos animais, como galinhas, coelhos e porcos, que morreram carbonizados, ficou apavorado", contou o soba.
Os sinistrados estão a viver numa escola até que a situação seja resolvida. Os habitantes da sanzala de Kabale, a nordeste da sede municipal de Lucala, têm como actividades principais a agricultura de subsistência e a caça.

Tempo

Multimédia