Províncias

Programa de Desenvolvimento Rural vai mudar município de Ngonguembo

Marcelo Manuel| Kwanza-Norte

Um total de dez mil milhões de kwanzas vão ser empregues na execução do Programa de Integração, Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, no município do Ngonguembo, província do Kwanza-Norte, até 2013, garantiu o administrador local, Mateus André Garcia, em entrevista ao Jornal de Angola.

Áreas social e económica da localidade do Kwanza-Norte serão particularmente beneficiadas pelo programa
Fotografia: Nilo Mateus

Um total de dez mil milhões de kwanzas vão ser empregues na execução do Programa de Integração, Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, no município do Ngonguembo, província do Kwanza-Norte, até 2013, garantiu o administrador local, Mateus André Garcia, em entrevista ao Jornal de Angola.
De acordo com a autoridade, o pacote de projectos beneficia essencialmente as áreas social e económica, sobretudo a construção de infra-estruturas, com serviços integrados, administrativos, residências para técnicos, bem como a criação de centros de abastecimento de água potável nas comunidades rurais.
O referido montante vai permitir também a execução de acções de requalificação e embelezamento das residências e ruas da vila de Ngonguembo, remodelação das 18 moradias do bairro “18 Casas”, adjacente à vila de Kilombo dos Dembos, com vista a garantir melhor comodidade e estadia aos técnicos da administração que ali residem.
A par destas acções, sublinhou, o governo provincial vai levar a cabo, no próximo ano, um projecto de requalificação total da sede municipal.
Mateus Garcia explicou que a aquisição de mais um grupo gerador, que se junta aos outros quatro, com capacidades de 135, 100 e 25 KVA, está a permitir o fornecimento de energia eléctrica ao domicílio e iluminação pública dos principais bairros periféricos da sede, situação que, disse, marca uma nova era para aquela população.
Até ao momento, a administração local controla 163 contratos de consumo de energia (pagos pelos consumidores). Nos próximos dias, espera-se uma maior aderência da população, visto que o número de casas com instalações eléctricas está a aumentar.
Mateus Garcia revelou que o abastecimento de combustíveis para os geradores é feito de forma regular, através de camiões-cisternas alugados, que cobram 150 mil kwanzas por carregamento. O armazenamento do produto é feito num depósito com capacidade de mil litros.
O administrador apontou a falta de financiamento como a causa da paralisação do projecto de abastecimento de água para a vila de Kilombo dos Dembos e para as comunas de Camame e Cavunga, onde, actualmente, a população consome água extraída de furos cartesianos, projectados a partir do Fundo de Gestão Municipal.
A mesma situação, realçou, verifica-se nas obras de construção da escola e do posto médico dos bairros Banza Kilombo e Velho Yango, cujas execuções se encontram já a 70 por cento dos acabamentos.
“As obras estão quase acabadas, mas só pagámos 30 por cento do valor geral, situação que fez com que o empreiteiro suspendesse os trabalhos”, concluiu.
O titular da pasta administrativa do Ngonguembo disse que alguns membros do seu executivo, em colaboração com as entidades tradicionais, vão efectuar, nos próximos dias, um censo populacional na região, com vista a facilitar a planificação do governo. Durante o ano findo, no município do Ngonguembo, foi construída uma escola com três salas de aulas, na comuna de Camame, reabilitada a administração municipal.

 Nascimentos

Um total de 5.017 registos de nascimento foi realizado pela conservatória do registo civil do Kwanza-Norte, durante os três primeiros meses deste ano, revelou o ajudante do conservador, Afonso Jorge Canhenga.
De acordo com o responsável, este número de registos, ocorridos entre Janeiro e Março de 2010, significa um aumento em mais de 3.367 em relação ao mesmo período do ano transacto.
O aumento do número de assentos de nascimento é resultado da importância que os cidadãos estão a atribuir ao exercício da cidadania e da instalação de postos de registos nos hospitais, maternidades e centros de saúde da província, disse.
Afonso Jorge frisou que durante o mesmo período foram extraídas 1.524 certidões, 1.172 cópias integrais, 890 cédulas pessoais, 66 certidões de óbito e sete assentos de casamento.
Estes vários actos legais efectuados na conservatória resultaram na arrecadação de mais de oito milhões de kwanzas de emolumentos.
No município de Ambaca, localidade situada a 190 quilómetros de Ndalatando, a representação do registo civil arrecadou para os cofres do Estado 1.184.197 de kwanzas a partir das receitas fiscais, entre os meses de Janeiro e Abril último.
Segundo o chefe de secção municipal do registo civil, Manuel Domingos Francisco, o referido montante é resultado de 367 registos de adultos, emissão de 319 certidões narrativas de nascimento e quatro certidões de óbito. A instituição realizou ainda 303 registos gratuitos de menores no centro materno-infantil de Ambaca.
Durante o ano de 2009, segundo o responsável, a representação municipal do registo civil em Ambaca arrecadou um total de 2.460.964 kwanzas, através da realização de 2.285 registos de nascimento e emissão de 641 certidões diversas.

Tempo

Multimédia