Províncias

Programas sociais reforçados

Isidoro Samutula | Dundo

O governador provincial da Lunda-Norte exortou sexta-feira, na cidade do Dundo,  os administradores municipais a desempenharem um papel determinante na aplicação de políticas sociais e económicas capazes de reduzir a pobreza e aumentar o rendimento das famílias no meio rural.

Autoridades provinciais estão a potenciar as instituições para que possam melhorar a prestação de serviços básicos
Fotografia: Cândido Matumbo |

Ernesto Muangala, que falava na tomada de posse dos novos administradores municipais, recentemente nomeados, alertou para a necessidade de se criarem programas integrados de apoios às famílias mais desfavorecidas, tendo em vista a ascensão social de um bom número de famílias no meio rural e urbano.
Para se atingir essas metas, Ernesto Muangala disse ser indispensável a qualificação e modernização da administração pública, de forma a simplificar os procedimentos administrativos, adoptando uma postura de maior transparência e igualdade nos concursos públicos.
Outros grandes desafios dos administradores municipais, de acordo com Ernesto Muangala, têm a ver com o combate à corrupção e ao nepotismo e com o reforço do associativismo e da sociedade civil.
O governador provincial da Lunda-Norte realçou a importância do fortalecimento das estruturas municipais, tendo em conta a institucionalização das autarquias, num futuro próximo.
Ernesto Muangala disse que, de acordo com as orientações do Presidente da República, as políticas públicas nos municípios devem ir ao encontro dos anseios dos cidadãos, por meio de uma administração inclusiva,  que apele a participação de todos os munícipes, independentemente do seu local de nascimento, sexo, língua materna,  religião, condição económica ou posição social.
Fazendo recurso ao slogan “a vida faz-se nos municípios”, Ernesto Muangala garantiu que o Executivo trabalha para que aos administradores municipais lhes sejam conferidos maiores poderes, por via da desconcentração administrativa e financeira dos órgãos da administração local do Estado, facto que possibilitará maior capacidade na resolução dos vários problemas essenciais que cada município enfrenta.
A qualificação e dignificação dos funcionários públicos,  a sua capacitação e motivação profissional  constituem tarefa fundamental que os administradores municipais devem assumir com responsabilidade, de forma a atrair jovens quadros e melhorar os serviços municipalizados, destacou Ernesto Muangala.
O governador  provincial a Lunda-Norte reconheceu  que a actual conjuntura económica que o país atravessa vai criar várias dificuldades no percurso das imensas tarefas que visam o desenvolvimento dos  municípios,  tendo encorajado os administradores municipais a serem verdadeiros servidores públicos,  administrando para o povo e com o povo.
O governante pediu mais diálogo público com a participação dos partidos políticos,  autoridades t­ra­dicionais e eclesiásticas,  da juventude,  das mulheres e da sociedade civil organizada em associações. “Os problemas dos munícipes serão do conhecimento de quem administra, no sentido de implementar políticas públicas que satisfaçam os anseios das populações locais”, disse.
Ernesto Muangala explicou ser importante que, no exercício das funções, os administradores municipais tenham sempre uma atitude responsável perante os problemas das populações, pois o interesse público tem de estar acima dos interesses particulares ou de grupo, para que prevaleça a defesa do bem comum.
“Queremos  administradores do povo e para o povo, que trabalhem mais no campo, isto é fora dos gabinetes e que não sejam calcinhas.”  Os administradores municipais nomeados  garantiram trabalhar para melhorar a qualidade de vida nos municípios, desenvolvendo acções tendentes à satisfação das necessidades básicas da população.
O administrador municipal de Lucapa, Rogério Fangana Muanginda, apontou o abastecimento de água potável, fornecimento de energia eléctrica, desenvolvimento da actividade agropecuária, combate à criminalidade, imigração ilegal e à exploração ilícita de diamantes como as principais prioridades das autoridades.
Agostinho Paiva, administrador municipal de Caungula, prometeu desenvolver o sector agro-pecuário do município, para potenciar as famílias rurais, sem descurar a melhoria do abastecimento de água potável, energia eléctrica e saneamento do meio.
Já o administrador do Cuango,  Guilherme Cango, prometeu dirigir as atenções ao saneamento básico, água e energia eléctrica, assim como no combate às ravinas que constituem as principais preocupações da população.
O administrador do Cambulo, Silvestre Cheleca, destacou o diálogo com  a sociedade civil, para identificar os principais problemas que afectam a população do município.
Tomaram também posse Alberto Muquendi,  administrador do Chitato,  João Ualinhenga, para o Lubalo, Domingas Zeferino Martins, para o Lóvua, Jacinto Valente, Capenda Camulemba, Teresa Ngambo,  para Cuilo, e Joaquim Miguel, para o município do Xá-Muteba.

Tempo

Multimédia