Províncias

Projectos sociais em fase de execução na comuna da Cerca no Golungo Alto

Kátia Ramos | Ndalatando

Vários projectos de impacto social estão a ser executados na comuna da Cerca, no município do Golungo Alto, com vista a aumentar o nível de vida dos habitantes da localidade.

A comuna vai contar com mais escolas
Fotografia: Jornal de Angola

Vários projectos de impacto social estão a ser executados na comuna da Cerca, no município do Golungo Alto, com vista a aumentar o nível de vida dos habitantes da localidade. Foi lançada a primeira pedra para a construção de uma escola e um posto de saúde financiado pelo “Bloco 15”, com o apoio da Esso Angola, projectos avaliados em 520 mil dólares.
O administrador comunal da Cerca, António João Sebastião, realçou que o Programa Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Fome e Redução da Pobreza está a contribuir para a execução de vários projectos socio-económicos.  Na comuna, está a ser construída uma escola com três salas, um centro médico e duas residências para professores e enfermeiros. As novas salas ficam concluídas em Setembro e são inauguradas em Novembro deste ano.
O empreendimento escolar vai beneficiar os bairros da Kibila, Catete Sala Cabanga e o 86. 
António Sebastião disse que estão a ser desenvolvidas acções noutros sectores, principalmente ligados à agricultura e à distribuição de energia e água potável para os moradores da Cerca e bairros periféricos.
A falta de transportes e o mau estado das vias que ligam a comuna a outras localidades, disse, estão a dificultar o escoamento dos produtos cultivados na região e a provocar muitos problemas às famílias camponesas.
A comuna da Cerca é produtora de laranjas, tangerinas e limões que são levados para os grandes mercados, como Ndalatando e Luanda. Muitas frutas acabam por apodrecer no campo por falta de transporte, já que muitos automobilistas recusam ir à localidade, devido ao mau estado da via.
O administrador pediu a intervenção do Governo Provincial para melhorar as estradas, de forma a facilitara as trocas comerciais e para permitir o escoamento dos produtos. Outro problema que também preocupa a administração da Cerca tem a ver com a qualidade de água que a população consome, já que é retirada de poços e cacimbas. Para evitar doenças, as autoridades locais, distribuíram às comunidades filtros que permitem melhorar a qualidade da água.
  O administrador comunal da Cerca, António João Sebastião, referiu que apenas a população da sede comunal beneficia de água potável, as zonas rurais aguardam pela mudança da tubagem antiga.

Tempo

Multimédia