Províncias

Província do Cuanza Norte com mais licenciados

Manuel Fontoura | Ndalatando

Os primeiros 247 licenciados em Análises Clínicas, Saúde Pública, Contabilidade e Gestão e Informática de Gestão, formados pela Escola Superior Politécnica, concluem os seus cursos até ao fim do corrente ano.

Parte frontal da Escola Superior Politécnica do Cuanza Norte que forma os primeiros licenciados até ao fim do ano
Fotografia: DR

De acordo com o director-geral da instituição, Pedro Vita, estão a decorrer alguns projectos de investigação científica, em cooperação com a Universidade Técnica de Dresden (Alemanha).A direcção da escola, acrescentou, preocupa-se e aposta na formação e diferenciação dos docentes e, através da cooperação com o Instituto Politécnico do Porto (Portugal, já foram formados seis mestres em diferentes áreas e outros quatro defendem tese ainda este ano. “É com este espírito que queremos cooperar com o Instituto Técnico de Coimbra, porque só unidos podemos ultrapassar as barreiras, primando assim por um ensino de qualidade, não esquecendo a investigação científica”, disse.
Durante as III Jornadas Científicas da Escola Superior Politécnica do Cuanza Norte, o director pediu aos docentes, investigadores, discentes e convidados para aproveitarem o momento e participarem activamente nas discussões, para que possam adquirir mais conhecimentos científicos e técnicos.Para o reitor da Universidade Kimpa Vita, Carlos Diakanámwa, as vitórias na vida só se alcançam através do trabalho árduo, do inconformismo permanente, da paciência, perseverança e da tolerância para granjear prestígio e sucesso.
O primeiro painel, “A Universidade na Construção de um Serviço de Saúde Pública de Qualidade e Competitivo”, reservou temas como a apresentação dos resultados preliminares das pesquisas sobre plantas medicinais, estudos etimológicos e determinação da idade exacta das rochas da província do Cuanza Norte, e o contributo da saúde ambiental na construção de um serviço de saúde pública e de uma sociedade empreendedora.
Neste painel discutiu-se igualmente o tema relacionado com o intercâmbio internacional com as Escolas Superiores de Portugal e a Escola Superior Politécnica de Coimbra, a relação entre a universidade e o sector produtivo, a saúde pública e a água, escassez, e consequências para a saúde, caracterização físico-química dos frutos silvestres comestíveis do Norte de Angola, o alcoolismo como um problema de saúde pública em Ndalatando, e comércio electrónico, vantagens e riscos associados.
O segundo painel, com o tema “Universidade e Empreendedorismo: Realidade ou Utupia?”, reservou temas como modalidades de financiamento das pequenas e médias empresas nas províncias do Cuanza Norte e Malanje, habilidades científico-investigativas e sua concepção num sistema de classes, assim como gestão educacional e o seu papel nas mudanças educativas e inovação propostas pela Reforma Educativa em Angola.  Foram ainda abordados temas ligados à superação do pessoal docente e investigação nas universidades, contribuições da inovação e do empreendedorismo para o desempenho das pequenas e médias empresas na cidade de Ndalatando e em outros municípios, as práticas da gestão empreendedora: a fórmula do sucesso, assim como a sociedade empreendedora, ganhos para a economia.

Tempo

Multimédia