Províncias

Província do Kwanza-Norte necessita de mais professores

André Brandão | Ndalatando

Procurando inserir mais crianças no sistema normal de ensino, a direcção da educação na província do Kwanza-Norte vai precisar de mais de mil professores, segundo informou ao Jornal de Angola, Vicente Francisco Manuel, o responsável provincial da Educação.

Procurando inserir mais crianças no sistema normal de ensino, a direcção da educação na província do Kwanza-Norte vai precisar de mais de mil professores, segundo informou ao Jornal de Angola, Vicente Francisco Manuel, o responsável provincial da Educação, Ciência e Tecnologia.
Entrevistado quarta-feira, o director provincial da Educação disse que o quadro previsto, podia contribuir satisfatoriamente, para a redução da quantidade de alunos, por turma. Segundo ele, durante o concurso público de 2010, ingressaram 874 novos professores, fazendo com que a província passasse a ter 4.213 docentes – número, ainda assim insuficiente, dada a quantidade de crianças, anualmente inseridas, no sistema de ensino.
“Como qualquer província que procura o desenvolvimento sustentável, o Kwanza-Norte, necessita de professores dotados de experiência, de laboratórios, bibliotecas e salas de informática”, disse Vicente Francisco Manuel, acrescentando que durante o ano lectivo de 2010, funcionaram 408 escolas, das quais 349 construídas com materiais e  apoio das comunidades. O director da Educação disse que o Governo Provincial está empenhado na construção e ampliação de salas de aula em escolas do primeiro e segundo ciclo, particularmente nas sedes municipais e comunais.
 
Alunos especiais

A província do Kwanza-Norte tem cerca de 950 alunos que precisam de cuidados específicos, dos quais 64 crianças que frequentaram aulas nas escolas normais, por falta de uma estrutura própria. O director provincial da Educação disse que as aulas foram ministradas por 12 professores.
Segundo Vicente Francisco Manuel, está em construção, no município de Cazengo, uma escola especial, possuindo cinco salas, com capacidade para 100 alunos.
Vicente Manuel disse existir na província, material para atender alunos que precisam de cuidados especiais - sendo necessários alguns meios, para a implementação do Braille, para a aquisição de material informático adequado, e para a construção de rampas que facilitem o acesso à instituição escolar.
O director da Educação disse que, no próximo ano lectivo, o número de alunos vai aumentar, porque muitas pessoas mostram o desejo de se formar.
Segundo Vicente Francisco Manuel, a merenda escolar é um incentivo para a manutenção de alunos nas escolas. Estimula a aprendizagem e tem ajudado as famílias carenciadas. De 2007 a 2009, acrescentou, “a merenda escolar beneficiou anualmente um total de 13 mil crianças, em 10 escolas dos municípios de Cazengo, Cambambe e Lucala”. O responsáve, esclareceu ainda que, devido à crise financeira, as crianças do Kwanza-Norte, não beneficiaram de merenda escolar, nesse ano.
Quanto à matéria curricular dos desportos escolares, o director provincial da Educação afirmou existirem, nos municípios, alguns campos que servem as escolas. Noutras localidades, a falta de apoio, o desporto é esporádico e, por iniciativa dos alunos. Na província do Kwanza-Norte, estiveram este ano inscritos, nos municípios do Cazengo e Golungo-Alto, 16.242alunos - dos quais, apenas 7.245 aprovaram. As aulas de alfabetização foram ministradas por 300 alfabetizadores. A província do Kwanza.Norte tem sete centros de alfabetização, construídos de raiz, mas grande parte dos alunos assistem às aulas, em escolas normais.

Tempo

Multimédia