Províncias

Província regista avanços na saúde e educação

O governador do Kwanza-Norte salientou ontem, em Ndalatando, os avanços registados na província, desde 2006, no domínio da saúde e da educação.
Henrique Júnior referiu que isso se deve ao empenho do Governo provincial e ao programa municipal integrado de desenvolvimento e de combate à pobreza.

O governador do Kwanza-Norte salientou ontem, em Ndalatando, os avanços registados na província, desde 2006, no domínio da saúde e da educação.
Henrique Júnior referiu que isso se deve ao empenho do Governo provincial e ao programa municipal integrado de desenvolvimento e de combate à pobreza.
O governador, que fez a afirmação ao apresentar à imprensa o balanço das acções desenvolvidas na saúde e no ensino, no quadro daquele programa, lembrou que foram construídas novas infra-estruturas sanitárias, que aumentaram para 122 as unidades em funcionamento e que há disponíveis 884 camas hospitalares.
Estes números em relação a 2006, declarou, representam um aumento de 43 novas unidades e de 482 camas, o correspondente a um crescimento na ordem de 54 por cento no primeiro caso e no segundo, de 120 por cento.
Em relação a doenças de “notificação obrigatória”, principalmente a malária, congratulou-se por a província ter registado uma redução, passando de 270.322 casos em 2006 para 72.488, em 2011.
O governador lamentou que, não obstante as melhorias verificadas no quadro sanitário da província, a malária continue a ser a principal causa de morte e de internamento nas unidades hospitalares da região.
Quanto à educação, disse que este ano lectivo há 115.277 alunos matriculados no ensino regular enquanto em 2006 havia 89.073, resultado da construção de 375 salas, o que equivalente a 75 por ano.
Tudo isto, afirmou, é fruto do trabalho integrado e participativo de toda  sociedade. “Vmaos continuar a trabalhar no sentido de melhorarmos o sector da Educação e vermos os nossos filhos a estudar”, disse.

Tempo

Multimédia