Províncias

Reabertura de picadas para escoar produtos

Marcelo Manuel | Canzondo

O Fundo de Gestão Municipal, inserido no programa de desenvolvimento rural da província do Kwanza-Norte, permitiu reabilitar o troço que liga a localidade de Canzondo a Ndalatando, num percurso de 20 quilómetros.

O soba de Canzondo, Gabriel Domingos, fez a revelação ao Jornal de Angola a propósito do 71º aniversário do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, a assinalar-se a 28 do corrente mês.
Gabriel Domingos apontou ainda a construção da ponte metálica sobre o rio Camuaxi, com uma extensão de 18 metros de comprimento e quatro de largura, como uma iniciativa do Executivo liderado por José Eduardo dos Santos.
A ponte que foi construída de raiz, num período de seis meses, e suporta 45 toneladas, disse o soba. Quanto ao sector da Saúde, Gabriel Domingos revelou que Canzondo possui um posto de saúde com quatro camas, salas de espera, tratamento pré-natal, consultório, enfermaria e farmácia.
O posto médico necessita de mais dois enfermeiros para melhorar o atendimento sanitário à população, disse o soba.
Na localidade foi também construída uma escola do primeiro ciclo do ensino primário, com quatro ­salas de aulas, uma cantina, compartimentos administrativos e pedagógicos, incluindo electricidade e á­gua canalizada. />A escola tem mais de 500 alunos da iniciação à sexta classe.
O soba frisou que a comunidade conta também com um sistema de captação e tratamento de á­gua potável, com fornecimento a cinco chafarizes espalhados pela circunscrição, cujo reservatório tem capacidade para dez mil metros cúbicos. A aldeia possui e­­nergia eléctrica domiciliar e pública, garantida por um grupo gerador de 30 KV.
O soba de Canzondo referiu a necessidade de reabertura das picadas de acesso às várias fazendas agrícolas da região, para o fomento da produção agrária e melhoria do escoamento dos produtos.
Gabriel Domingos citou a via que liga a sua comunidade à da Pamba Real, no município do Lucala e Quirima, no Cazengo.
A localidade precisa de uma moagem para a fuba de bombó e uma viatura para escoar os produtos do campo para os principais mercados.
O soba acrescentou que existem na região quatro produtores de café, que durante o ano passado colheram 950 quilos do produto e, por falta de clientes, ainda não foi comercializado.

Tempo

Multimédia