Províncias

Reabilitação de estradas começa em breve

Manuel Fontoura| Ndalatando

O governador provincial do Cuanza Norte  anunciou, no sábado, em Ndalatando, a reabilitação, nos próximos meses, das estradas que ligam os municípios do Golungo Alto e Ngonguembo, Samba Caju-Kikulungo-Bolongongo e Samba Caju-Banga.

Programa de reabilitação dos principais eixos viários visa facilitar as trocas comerciais
Fotografia: Eduardo Pedro

José Maria dos Santos disse que “já existem verbas e autorização para o início das obras”.
“As estradas encontram-se muito degradadas e travam o desenvolvimento destas localidades, particularmente os 36 quilómetros entre o Samba Caju e Quiculungo, os 24 quilómetros da via entre Bolongongo e Terreiro, os 47 quilómetros que ligam o Samba Caju e a Banga, para além dos cerca de 20 quilómetros que faltam ser reabilitados e asfaltados entre Golungo-Algo e Ngonguembo, mas os técnicos do sector já trabalham para o efeito”.
José Maria dos Santos, que falava durante o encontro provincial da juventude, afirmou que foi     exarado um Despacho Presidencial que autoriza, para os próximos tempos, o início da construção da centralidade de Ndalatando, com cerca de 4.000 apartamentos.
Por sua vez, um memorando do Conselho Provincial da Juventude refere que o empenho do Governo, na colocação de chafarizes nos bairros periféricos da cidade ou em toda a província, muitas vezes não tem sido levado em conta por parte da população, pois se observa a vandalização destes bens.  Os líderes juvenis, em parceria com o Governo e as Administrações Municipais, propõem a criação de brigadas para supervisão e que os próprios beneficiários criassem as equipas de manutenção, para que os bairros não beneficiados sejam contemplados, como o previsto.
Em relação à carência de sangue nos hospitais, os jovens sugerem a criação de um projecto concreto com a Brigada Jovens Solidários e outras congéneres, para se acompanhar as hemoterapias existentes, bem como a revisão do projecto elaborado, que previa uma cesta básica por cada um dos dadores que fizessem parte do projecto e se velasse mais pela criação de espaços de lazer e diversão.
Os jovens solicitaram o aumento do número de vagas no próximo ano lectivo, nas escolas do segundo ciclo, para responder à necessidade da juventude, bem como a construção de parques de lazer e recintos desportivos nas escolas.
De acordo com o memorando da juventude, mesmo reconhecendo o momento de crise que o mundo vive e especificamente Angola, pediram ao Governo local que revisse, com os comerciantes, os preços dos produtos básicos, uma vez que a população é maioritariamente camponesa e sem  poder de compra.
Revelaram que, para do sector da saúde, seria bom rever a falta de quadros e ausência de fármacos nas unidades sanitárias, sem justificação, e que aumentassem os cursos na Escola Superior Politécnica, porque continua  a haver jovens que vão às províncias vizinhas à procura de cursos não ministrados na província do Cuanza Norte.
Os jovens solicitaram ainda ao Governo Provincial que, para a adjudicação de empreitadas de estradas, se contratassem empresas com experiência, visto que muitas não tiveram o tempo de duração previsto. “As obras no troço Dondo-Ndalatando, com cerca de 74 quilómetros, já duram há mais de dez anos. Precisamos maior atenção e mais fiscalização, porque boas estradas geram desenvolvimento”, refere o memorando.

Tempo

Multimédia