Províncias

Reabilitação de vias impulsiona o desenvolvimento

Manuel Fontoura | Ndalatando

A reabilitação dos 25 quilómetros que ligam o bairro Catome de Cima à área turística e agrícola das quedas do rio Muembeji, nos arredores da cidade de Ndalatando, começou depois de um acto formal de consignação da empreitada, no qual participou o vice-governador do Cuanza Norte para o Sector Técnico e Infra-estruturas,  Erlindo Lidador.

Centenas de quilómetros de estradas secundárias e terciárias do Cuanza Norte começaram a ser reabilitados quarta-feira
Fotografia: Nilo Mateus | Ndalatando

Os trabalhos vão durar três meses e incluem, na primeira fase, a abertura da pista, com dez metros de largura, desmatação e o nivelamento da base, enquanto a segunda fase consiste em fazer um aterro e a construção de valas de drenagem.
O empreiteiro Henrique Simões pediu a colaboração da população que tem lavras e junto à estrada, uma vez que alguns campos agrícolas podem ser danificadas, para que o trabalho saia com perfeição.
O director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Mendonça Luís, informou que o projecto é de âmbito central, sob a égide do Ministério da Construção, no quadro da reabilitação das vias terciárias das províncias.
Para o Cuanza Norte, disse, estão contemplados, numa primeira fase, 75 quilómetros, a serem executadas por três empresas, sendo o primeiro o itinerário entre Catome de baixo e as Quedas do rio Muembeji.
Para os outros percursos, a­crescentou, o INEA está a fazer um enquadramento para que, nos próximos dias, comecem a ser reparados. Mendonça Luís informou que a via em reparação vai permitir uma  circulação mais fluida de pessoas e bens.
“Ao longo da estrada existem muitas lavras e a população tem-se queixado da falta de escoamento dos produtos, devido ao mau estado da via”, disse. Mendonça Luís informou que a extensão total das estradas terciárias na província do Cuanza Norte é de 2.323 quilómetros e o seu estado, de uma forma geral, não é dos melhores.
Referiu que as Administrações Municipais e Governo Provincial  têm estado a executar algumas obras de terraplanagem, sendo que neste quadro já foram terraplanados  790 quilómetros. No quadro da reabilitação da rede fundamental de estradas da província, Mendonça Luís disse que são reabilitados 125 quilómetros e nesta altura estão a ser realizadas obras de alargamento, reabilitação e a construção de pontes na via entre o Alto Dondo e o Morro do Binda, com uma extensão de 47 quilómetros, e entre o Golungo Alto, Camame e Banga, com 63 quilómetros. Neste momento, estão igualmente em curso as obras de melhoramento da estrada de Cambondo a Ngonguembo. Recentemente foi indigitada uma empresa para trabalhar na via que liga Uyangombe, Quiculungo e Pambosd e Sonhe, que neste momento está em estudos, medições e levantamentos primários, para o início dos trabalhos.

Contrato rescindido


Na estrada de Samba Caju à Banga os trabalhos estão parados porque foi rescindido o contrato com o empreiteiro e só depois de um novo contrato os trabalhos são concluídos.
O responsável  local do Instituto Nacional de Estradas de Angola garantiu, para um futuro breve, a reabilitação e asfaltagem das estradas que ligam os municípios de Samba Caju a Quiculungo, Bolongongo e à comuna de Terreiro, Samba Cajú, Banga, Golungo Algo e Ngonguembo. De momento, sublinhou, o processo está na  fase dos acertos para definir possíveis indemnizações de parte a parte e só depois é entregue a empreitada a uma nova empresa.
O director provincial do INEA precisou que a via do Dondo a Massangano, numa extensão de 21 quilómetros, está inserida no quadro do projecto de reabilitação de estradas terciárias e neste momento estão a ser feitos os acertos relativos à contratação da empresa que vai executar o trabalho, ainda este ano.

Tempo

Multimédia