Províncias

Rede pede responsabilidade às pessoas comVIH-SIDA

A coordenadora do Kwanza-Norte da rede de pessoas vivendo com o VIH/Sida, Teresa Tavares Duas Horas, pediu ontem, em Ndalatando, capital da província, maior responsabilidade dos indivíduos que vivem com este mal, no sentido de se evitar a contaminação propositada de pessoas sãs.

A coordenadora do Kwanza-Norte da rede de pessoas vivendo com o VIH/Sida, Teresa Tavares Duas Horas, pediu ontem, em Ndalatando, capital da província, maior responsabilidade dos indivíduos que vivem com este mal, no sentido de se evitar a contaminação propositada de pessoas sãs.
O pronunciamento foi feito à imprensa, à margem do Seminário Provincial de Capacitação de Líderes Religiosos e de activistas sociais do Kwanza-Norte na luta contra o VIH/Sida, aberto terça-feira e que encerrou ontem, sob a égide da “Rede Esperança das Organizações Baseadas na Fé na luta contra o Sida” (órgão que coordena as Igrejas angolanas no combate a esta enfermidade).
Para Teresa Tavares Duas Horas, as pessoas que vivem com a doença devem levar uma vida regrada, pautando por uma conduta digna na sociedade e nas suas comunidades.
Segundo ela, a sociedade tem a responsabilidade de informar e formar as pessoas seropositivas, não na perspectiva daquilo que gostariam de fazer, mas sim em pautar pelas normas comportamentais que a sua condição de saúde aconselha.
Nada indica que a vida acaba com o facto de alguém ser seropositivo, lembrou, explicando que os portadores do VIH/Sida têm deveres e valores a salvaguardar no quadro desta sua condição. Estas declarações foram reforçadas pelo médico de clínica geral do Hospital Central de Ndalatando, Biavanga Eduardo Alves.

Tempo

Multimédia