Províncias

Samba Cajú tem novas infra-estruturas

Marcelo Manuel | Samba Cajú

Os habitantes da vila de Samba Cajú e dos bairros periféricos de Kananga, Nzamba, Kamavo e Luamba, perfazendo cerca de 57 mil, viram melhorado, desde domingo, o fornecimento de água potável a partir da nascente de Mona-Ndombe, no âmbito do programa do Executivo denominado “Água para Todos”.

Vista parcial da sede municipal onde estão em curso várias obras sociais para melhorar o nível de vida da população e a imagem da urbe
Fotografia: Marcelo Manuel|Samba Cajú

Os habitantes da vila de Samba Cajú e dos bairros periféricos de Kananga, Nzamba, Kamavo e Luamba, perfazendo cerca de 57 mil, viram melhorado, desde domingo, o fornecimento de água potável a partir da nascente de Mona-Ndombe, no âmbito do programa do Executivo denominado “Água para Todos”.
O governo provincial investiu no referido projecto, que permitiu a construção de 12 chafarizes e cinco lavandarias, cerca de 88 milhões de kwanzas, tendo, no acto de inauguração, o vice-governador do Kwanza-Norte para a área técnica e infra-estruturas, Erlindo Lidador, referido que os mesmos se enquadram na estratégia do Executivo angolano, que visa melhorar e aumentar a oferta de serviços sociais básicos à população.
A rede de distribuição interna de água possui uma extensão de seis quilómetros e a sua construção levou 14 meses, segundo o chefe de departamento de águas do Kwanza-Norte, True Zangui, que acrescentou que o centro de captação e tratamento possui um tanque com capacidade de armazenamento de 170 metros cúbicos de água e bombagem de 92 metros cúbicos.
O administrador de Samba Cajú, João António Leitão, considerou a entrega dos chafarizes como um “momento ímpar” para a história da localidade, pelo facto de a sua inauguração acontecer no mês da paz para os angolanos, notando igualmente que se trata de uma resposta “concreta” do programa do Executivo angolano, virado para o desenvolvimento rural e combate à fome e pobreza.
Ainda no âmbito das festividades do 4 de Abril, a comuna de Samba Lucala, situada cerca de 75 quilómetros a sul da vila de Samba Cajú, ganhou um novo grupo gerador, com capacidade de 110 kva, para iluminação pública e domiciliar, que vai fazer com que as casas e as ruas sejam melhor iluminadas.

Outros ganhos
 
O Jornal de Angola constatou no terreno que, durante os nove anos de paz efectiva, no município do Samba Cajú foi construída uma esquadra policial, numa área de 250 metros quadrados, com recurso ao suporte financeiro do governo provincial. São também de assinalar as melhorias significativas no fornecimento de energia, a partir da barragem hidroeléctrica de Kapanda. Quer a sede municipal como os bairros periféricos estão agora melhor iluminados, com a montagem de cerca de 400 postes.
Os serviços da operadora privada UNITEL garantem as comunicações da população com o país e o resto do mundo. Uma antena repetidora permite o acesso aos canais um e dois da Televisão Pública de Angola, TPA, enquanto um sistema de fibra óptica, actualmente em organização, vai permitir o uso da Internet e telefonia fixa.
Quanto à saúde, Samba Cajú possui um centro com capacidade para 24 camas, onde funcionam um médico de clínica geral, 16 técnicos básicos, sete médios, dois técnicos de laboratório, um estomatologista e dois administrativos.
A malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas, parasitoses intestinais, tuberculose e doença do sono são as moléstias mais frequentes da região.
As autoridades de Samba Cajú dizem que o centro de saúde não suporta a demanda e defendem, por isso, a construção de mais postos médicos nas comunidades de Ngambo, Muloco, Songo e Tabi.

Escolas degradadas

No sector da Educação, o quadro em Samba Cajú é marcado pelo estado de degradação das 16 escolas de construção definitiva.
Por enquanto, o recurso para os cerca de 5.150 alunos matriculados este ano tem sido as 47 escolas de construção precária, controladas pelo sector da Educação no município. Responsáveis locais da Educação disseram à nossa reportagem que Samba Cajú possui 237 professores, mas são necessários, pelo menos, mais 35.
O município possui uma escola de artes e ofícios, onde são ministrados cursos de serralharia, corte e costura, informática e carpintaria, que já formou  258 jovens.

Tempo

Multimédia