Províncias

Saneamento ambiental regista melhorias

Kátia Ramos| Ndalatando

O saneamento básico a nível da província de Kwanza-Norte vai conhecer melhorias significativas nos próximos tempos, quando for iniciado o programa de saneamento total.

Coordenador do programa de saneamento
Fotografia: Nilo Mateus| Ndalatando

O programa foi apresentado na quarta-feira, em Ndalatando, pelos membros da Unidade Técnica de Saneamento Ambiental (UTNSA) aos responsáveis provinciais.
O coordenador nacional de saneamento, Nascimento Soares, disse que o programa de expansão e saneamento total, dirigido às comunidades e escolas, está a ser gerido e realizado pela Unidade Técnica de Saneamento do Ministério do Ambiente.
O programa pretende estimular a educação, sensibilização e criação de novas experiências e uma visão colectiva das comunidades, para melhor a prevenção das doenças.
O projecto, que tem como lema “Saneamento ambiental, um compromisso de todos”, deriva da continuidade das actividades desenvolvidas em 2008, na sequência de um surto de cólera registado em todo país.
Com o surgimento do surto, houve necessidade da mobilização de esforços, para a criação de condições técnicas e materiais, com vista a responder aos números notificados e de mortes, recordou. Foi nestes moldes, salientou, que surgiu o Programa de Saneamento Total, com a finalidade de resolver igualmente os problemas comunitários nas províncias de Cunene, Moxico, Bié e Luanda.
O coordenador acrescentou que a questão do saneamento ambiental está a ser levada às comunidades em linguagem bastante precisa e simples, através de programas voltados para a educação e de adopção de práticas de higiene e limpeza. As comunidades têm de estar educadas, de forma a construírem latrinas para evitarem a defecação ao ar livre. Isso evita doenças frequentes, como a cólera e outras oportunistas, alertou Nascimento Soares.
A questão da gestão dos resíduos tem sido um grande problema, referiu Nascimento Soares, por isso estão a ser levadas a cabo várias actividades pelo Ministério do Ambiente, no sentido de sensibilizar as populações e para uma recolha dos resíduos e do seu aproveitamento. O lançamento provincial da estratégia de saneamento nas comunidades e a apreciação do projecto, advocacia e política incluem a formação de cerca de 30 agentes, que vão formar as comunidades.
O referido programa vai abranger seis províncias, 18 municípios e 36 comunas, sendo que em cada uma delas vão ser preparados agentes comunitários.

Tempo

Multimédia