Províncias

Saúde deu salto de gigante

Manuel Fontoura | Ndalatando

A construção de novas infra-estruturas no Cuanza Norte, a criação de empregos, a reparação das vias rodoviárias e a consolidação do sentimento de reconciliação mereceram referências positivas dos membros da sociedade civil.

A rede sanitária do Cuanza Norte foi ampliada em todos os municípios durante os anos de paz e os técnicos de saúde estão em todo o lado
Fotografia: Nilo Mateus|Ndalatando

O reverendo da Igreja Metodista Unida Central de Ndalatando, Euclides António dos Santos, disse que as conquistas registadas em Angola demonstram que o país progride decisivamente rumo ao desenvolvimento e aqo bem-estar das populações.
O pastor salientou que a situação social no Cuanza Norte tem estado a mudar positivamente, fruto do trabalho das instituições públicas que procuraram dar uma outra imagem à província. A construção e a reabilitação de escolas, hospitais, centros e postos de saúde, estradas, habitações sociais, a consolidação da democracia e da reconciliação nacional, são exemplos visíveis.
O sociólogo António Lubiavanga Alexandre afirmou que a paz está a permitir que o Executivo reduza os avultados investimentos que canalizava para os sectores da Defesa e da Segurança, em tempo de guerra.
Lubiavanga Alexandre salientou que “foram quase 30 anos de guerra e, em 12 de paz, verificamos uma recuperação acelerada de muitas infra-estruturas, o que possibilita a circulação fluida e em segurança nas várias estradas do país”.
Entre os ganhos permitidos pela paz, Lubiavanga Alexandre citou a implantação do ensino universitário, com duas escolas superiores. “Estes esforços traduzem a preocupação do Governo em acompanhar o crescimento das infra-estruturas sociais modernas com o desenvolvimento do próprio homem”.
O médico Manuel Duarte Varela refere que, até ao ano de 2002, a província tinha apenas um técnico superior de enfermagem e 400 auxiliares. Actualmente, existem 24 médicos e 1.194 enfermeiros.
Manuel Varela está satisfeito com a expansão dos serviços ligados à saúde reprodutiva, dos centros de testagem e aconselhamento voluntária do VIH/Sida, que começaram a funcionar a partir de 2006.

Tempo

Multimédia