Províncias

Saúde reprodutiva melhora no município

Marcelo Manuel | Quilombos

Os índices de mortes em recém-nascidos e em parturientes, durante e pós parto, conheceram uma redução significativa, nos últimos tempos, no município do Ngonguembo, depois da abertura do primeiro centro materno-infantil naquela região da província do Cuanza-Norte.

O Centro materno-infantil do município do Ngonguembo regista 16 partos por mês
Fotografia: Marcelo Manuel | Cuanza-Norte

A responsável do centro, Maria Viande, avançou ontem que a redução de mortes se deve, em parte, à melhoria da saúde à mulher grávida, através das consultas pré-natais e de conselhos úteis durante a gravidez.
Salientou que eram registados uma média mensal de 18 a 30 partos extra-hospitalares, alguns dos quais acabavam em morte, mas a entrada em funcionamento da instituição fez reduzir estes para oito a dez casos.
Em média, a instituição regista 16 partos por mês, tendo já averbados 60 durante os primeiros seis meses do ano, mais dez em relação ao mesmo período do ano passado.
Maria Viande disse que a média de consultas ronda entre 20 e 30 diárias, incluindo mulheres provenientes da comuna de Cavunga, que dista 18 quilómetros de Quilombo dos Dembos, a sede municipal.
Construído pelo Governo Provincial do Cuanza-Norte, através dos seus cadernos de encargos económicos para o município do Ngonguembo, o centro tem uma sala de partos e outra de pós-parto, totalmente equipadas, com oito camas cada.
O centro materno-infantil dispõe ainda de uma sala de incubadoras, área de consultas pré-natais, puericultura e de planeamento familiar, além de um recinto de espera. A responsável do centro disse que a instituição tem condições de trabalho aceitáveis, daí que as mulheres com partos domiciliares são transladadas de imediato para a unidade hospital, no sentido de beneficiarem de melhor assistência técnica e medicamentosa.
Há tempos, muitas mulheres das comunidades locais tinham preconceito de aderir aos serviços da unidade, por causa dos técnicos do sexo masculino, mas as campanhas de sensibilização realizadas e os conselhos úteis mudaram a consciência das senhoras.

Tempo

Multimédia