Províncias

Tarifas de pagamento de água apresentadas aos consumidores

Marcelo Manuel | Ndalatando

Os consumidores de água potável na cidade de Ndalatando passam a pagar mensalmente, com a apresentação sábado da tabela de tarifários para a cobrança, anunciou, naquela cidade, o presidente do conselho de administração da empresa gestora da distribuição.

Com a cobrança do consumo de água potável habitantes de Ndalatando vão fazer melhor gestão do produto no seio das famílias
Fotografia: Nilo Mateus | Ndalatando

Agostinho Felizardo frisou que os clientes de consumo residencial pagam o valor mensal de 1.400 kwanzas, enquanto os estabelecimentos comerciais e indústrias 1.600 e 2.000 kwanzas.
As instituições públicas possuem uma tarifa básica de 1.300 kwanzas, enquanto o fornecimento, através de fontenários ou chafarizes, nos bairros periféricos vai ser cobrado ao preço de cinco kwanzas por cada vasilha, independentemente do seu tamanho.
Felizardo esclareceu ainda, durante a apresentação da tabela de tarifários para a cobrança do consumo de água potável, sobre o estado de funcionalidade da rede de distribuição interna e da criação de projectos para a sua devida expansão.
A empresa está a estudar, em parceria com o Governo Provincial do Cuanza Norte e Administração Municipal do Cazengo, mecanismos para a adopção de medidas cautelares, com vista à fixação dos preços de cobrança para os vendedores de água em camiões cisternas. Para os antigos combatentes e veteranos da pátria, estuda-se também formas de cobrança ou total isenção de pagamento, com base na legislação de tarifários vigente.

Água nos bairros

Nos últimos dois meses, os bairros Popular, Comarca, Kipata, Boa Vista, entre outros, que estavam há mais de dois anos sem consumo de água da rede, passaram a beneficiar desses serviços, assegurou.
Até o mês de Dezembro, prevê-se a celebração de cerca de 6.400 contratos, em função dos trabalhos de construção de contadores e expansão da rede interna de distribuição às comunidades do Sassa, Vieta, Mesquita, Cais, Camundai e Tiro aos Pratos. Até ao momento, perto de 1.800 munícipes já procederam ao cadastramento, para aquisição do contrato que permite o pagamento de consumo mensal.
Na fase actual, a cidade de Ndalatando tem cerca de três mil ligações domiciliares, cujos utentes consomem água sem qualquer pagamento.
A empresa trabalha no sentido de atingir 19.400 ligações caseiras, até ao ano de 2019. Para a materialização deste objectivo, é necessária a reparação ou substituição de cerca de 27 válvulas hidráulicas, espalhadas pela rede de distribuição de água potável de Ndalatando, que devido ao tempo apresentam falhas no seu funcionamento.
 “A população deve evitar a cedência de tubos de água a terceiros, através de ligações domiciliares. A única entidade vocacionada para o efeito é a Empresa Provincial de Águas”, alertou. Advertiu os consumidores, para racionalizarem o consumo, evitando o uso de materiais obsoletos, como torneiras, mangueiras ou tubos, de forma a evitar danos a nível do sistema de distribuição, para que se verifique sempre alguma regularidade no abastecimento.

Tempo

Multimédia