Províncias

Técnicos formados em Ndalatando

Marcelo Manuel|Ndalatando

Técnicos de instituições de formação profissional da província do Kwanza-Norte participaram quarta-feira, em Ndalatando, numa acção formativa, com vista a aperfeiçoar as metodologias e técnicas do sistema nacional de emprego e formação profissional.

Vários jovens beneficiam de formação profissional nos pavilhões de artes e ofícios
Fotografia: Jornal de Angola

Técnicos de instituições de formação profissional da província do Kwanza-Norte participaram quarta-feira, em Ndalatando, numa acção formativa, com vista a aperfeiçoar as metodologias e técnicas do sistema nacional de emprego e formação profissional.
Na acção ministrada por técnicos do Departamento Nacional de Formação Profissional do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, participaram entidades responsáveis de centros de formação profissional, pavilhões de artes e ofícios e entidades religiosas.
O chefe de departamento nacional de Formação Profissional, do ministério de tutela, António Pedro Rangel, disse que a referida formação vai proporcionar aos 27 técnicos ­locais, à luz dos investimentos públicos e privados, conhecimentos para o apuramento do impacto das relações de trabalho gerados pelos vários sistemas de emprego, durante um certo período de tempo.
O prelector aproveitou a ocasião para buscar contribuições e subsídios relativos à lei de base da certificação e carteira profissional, que se encontra em discussão para a sua respectiva aprovação.
António Pedro Rangel adiantou que a aprovação da lei em referência vai flexibilizar as acções dos intervenientes do sistema nacional de formação profissional.
Durante a acção, foram abordados temas relacionados com o funcionamento dos grupos técnicos locais para a recolha e tratamento de dados numéricos no mercado de emprego, importância do decreto 155/2004, de 31 de Dezembro, ­publicado no ­Diário da República deste ano, para o conhecimento da forma de trabalho a nível provincial. Foram ainda discutidos o processo para a legalização da actividade de formação profissional, mapa de recolha de dados estatísticos dos centros de formação profissionais, paradigmas do regulamento interno das unidades formativas e os modelos para o levantamento de novos perfis de formação. A importância do conhecimento das classificações de produções em Angola na planificação de formação e qualificação dos activos do país foram outros aspectos abordados. O director provincial da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, Pedro Fula, sublinhou que os temas vão doravante garantir conhecimentos técnicos importantes, cuja materialização no campo laboral é obrigatória.

Tempo

Multimédia