Províncias

Unidade clínica de Ambaca precisa de mais especialistas

André Brandão| Ambaca

O Hospital Municipal de Ambaca necessita de 14 médicos de várias especialidades e de 30 enfermeiros, para colmatar as grandes dificuldades que a unidade sanitária regista actualmente, referiu o director da instituição.

Falta de técnicos prejudica a eficácia
Fotografia: Jornal de Angola

Caetano José Miguel disse que, a par da carência de quadros, o hospital atravessa outras dificuldades que têm a ver com a falta de monitorização e instrução do uso correcto de alguns equipamentos, com destaque para os aparelhos de Endoscopia, Oftalmologia, Raio X e Estomatologia.
O director disse que a unidade hospitalar produz oxigénio capaz de cobrir as necessidades da unidade, tal como fornece a outras dependências sanitárias da província do Uíge. Em função desta disponibilidade, salientou estar em condições de fornecer oxigénio a outros hospitais, desde que eles contactem a direcção da unidade clínica municipal de Ambaca.
O responsável avançou que o hospital dispõe de cinco blocos principais e dois secundários, com serviços de informação, consultas externas, área administrativa, farmácia, laboratórios, diagnóstico por imagem e urgências. Conta com 14 médicos e 30 enfermeiros, além de 105 administrativos. Com uma capacidade de 92 camas, o hospital dispõe ainda de serviços de urgência, pediatria, cirurgia, ginecologia, obstetrícia, medicina, ortopedia e morgue.
A febre tifóide, malária, doenças respiratórias e diarreicas agudas, filariose, hipertensão e diabetes são as patologias mais frequentes no hospital, que atende atende pacientes de Samba Caju, Quiculungo e Banga, além dos das aldeias vizinhas do Uíge e Malange.

Tempo

Multimédia