Províncias

Unidades sanitárias precisam de sangue

André Brandão | Ndalatando

As autoridades sanitárias da província do Cuanza-Norte necessitam de 1.260 bolsas de sangue mensalmente, para acudir os centros de sangue (hemoterapias), das sete principais unidades sanitárias da província e garantir as necessidades dos pacientes que procuram estes serviços, informou  em Ndalatando, a directora do Gabinete Provincial da Saúde, Filomena Wilson.

Fotografia: DR

De acordo com Filomena Wilson, que falava durante as celebrações  do Dia Mundial do Dador de sangue, as unidades sanitárias da província realizam 42 a 50 transfusões por semana.
A responsável disse que a província do Cuanza- Norte necessita de pelo menos de 24.750 dadores voluntários permanentes, para fazer face as necessidade dos hospitais.
O chefe de Secção da Hemoterapia do Hospital Provincial do Cuanza-Norte, Silva Manuel Pedro, explicou que a unidade tem capacidade para armazenar acima de 200 bolsas de sangue, mais geralmente fica sem Stock, por falta de dadores voluntários permanentes.
Silva Pedro explicou que têm recibo doações de sangue feitas por membros de várias organizações políticas, partidárias, igrejas, efectivos da Polícia Nacional e do Corpo de Bombeiros.
“O sangue mais procurado é o O positivo, sendo O negativo o mais raro, que geralmente aparece mais na região do Dondo, município de Cambambe”, disse Silva Manuel Pedro, que fez saber que, nos anos passados, o hospital tinha incentivos fornecidos pela Cruz Vermelha de Angola, “mas há muito que já não se faz sentir”.

Tempo

Multimédia