Províncias

Vacinação contra a pólio teve fraca adesão popular

Esperança Carla |Ndalatando

Cerca de 109 mil crianças foram vacinadas contra a poliomielite na última semana do mês de Março no Kwanza-Norte, um número considerado reduzido em relação à primeira fase da campanha anterior, que registou 180 mil, revelou ao Jornal de Angola o director do gabinete de promoção da saúde.

O trabalho dos vacinadores foi condicionado pelas fortes chuvas registadas na província
Fotografia: Jornal de Angola

Cerca de 109 mil crianças foram vacinadas contra a poliomielite na última semana do mês de Março no Kwanza-Norte, um número considerado reduzido em relação à primeira fase da campanha anterior, que registou 180 mil, revelou ao Jornal de Angola o director do gabinete de promoção da saúde.
David Campos indicou que a pouca adesão de crianças à campanha contra a pólio se deveu às chuvas intensas que se abateram sobre a província do Kwanza-Norte, limitando consideravelmente o trabalho dos vacinadores. “Apenas o município do Cazengo registou elevada afluência, com mais de 46 mil crianças vacinadas”, referiu, notando que nesta fase foram disponibilizadas 130 mil doses de vacinas. David Campos esclareceu que a segunda fase da campanha de vacinação contou com o apoio de 340 mobilizadores de vacinação distribuídos pelos dez municípios do Kwanza-Norte, 349 equipas de vacinação integradas por 693 vacinadores, 163 supervisores de equipa e oito coordenadores. 
“O sector da Saúde no Kwanza-Norte contou com o apoio das autoridades tradicionais, igrejas e associações juvenis na mobilização da população para a adesão massiva à campanha”, adiantou o director do gabinete de promoção da saúde, reiterando o empenho das autoridades na erradicação da paralisia infantil na província.

Tempo

Multimédia