Províncias

Vários projectos estão em execução no Ngonguembo

Marcelo Manuel | Ngonguembo


 
Os funcionários da administração municipal do Ngonguembo, 90 quilómetros a Norte de Ndalatando, capital do Kwanza-Norte, trabalham em condições mais cómodas, devido à reabilitação e apetrechamento das suas instalações.

Sectores da Saúde e da Educação estão a beneficiar de novas infra-estruturas para melhorar o sistema de ensino e a assistência médica
Fotografia: Jornal de Angola


 
Os funcionários da administração municipal do Ngonguembo, 90 quilómetros a Norte de Ndalatando, capital do Kwanza-Norte, trabalham em condições mais cómodas, devido à reabilitação e apetrechamento das suas instalações.
O imóvel foi reinaugurado pelo governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, durante uma visita de auscultação àquela região.
 A estrutura possui secretaria, gabinetes do administrador e seu adjunto, bem como do secretário, e uma sala de comunicações. A obra durou um mês e custou 15 milhões e 800 mil kwanzas.
Henrique Júnior constatou também o andamento das obras de reconstrução e ampliação do hospital municipal, com capacidade para 35 camas, que, para além de possuir repartições como banco de urgência, secretaria,  área de medicina para pacientes de ambos sexos, sala de parto, pediatria, consultório médico, enfermaria e farmácia, conta agora com uma cozinha, lavandaria, casas de banho e refeitório.
A requalificação engloba ainda a reparação das fissuras e pintura das paredes, aplicação de mosaico e substituição do teto. As obras ficam concluídas em Dezembro próximo, o que obriga o funcionamento dos serviços de saúde numa estrutura improvisada.
Em Kilombo dos Dembos, sede municipal do Ngonguembo, estão também em curso a reabilitação e expansão dos postes de iluminação pública dos bairros Banza-Bango e “Dezoito Casas”, numa área de três mil metros quadrados, assegurados por um grupo gerador.
Tais projectos enquadram-se no Programa de Intervenção Municipal, evidenciados através de 39 milhões de kwanzas, alocados durante os meses de Julho e Agosto do corrente ano.
 
 Camame tem nova escola
 
 A comuna de Camame, 65 quilómetros de Kilombo dos Dembos, vai arrancar o próximo ano lectivo com 450 alunos, mais 238 em relação ao presente, na sequência da construção de uma escola, com quatro salas de aula, evitando assim a fuga de alunos com frequência de base para outras áreas da província.
A construção da escola durou três meses e custou 13.800.000.00 Kwanzas. Serafina João, de 50 anos de idade, residente em Camame, agradeceu o esforço empreendido pelo Governo, o que vai permitir que o seu último filho conclua o ensino de base na região e ainda sob seus cuidados.   “O meu filho este ano vai concluir a 6ªclasse e estava a pensar mandá-lo ao Golungo-Alto, junto do seu irmão mais velho, mas, com a construção desta escola, ele vai poder ficar mais algum tempo junto de mim, o que me agrada muito”, disse.
 
 
Autoridades tradicionais
expõem preocupações
 
As autoridades tradicionais do município do Ngonguembo estão satisfeitas com o desempenho da administração municipal na execução dos projectos gizados para o corrente ano, mas preocupadas com o fraco desenvolvimento do comércio e o elevado número de infra-estruturas sociais por reparar.
As inquietações foram apresentadas durante uma reunião que a classe teve com o governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, durante a sua visita de trabalho de 24 horas àquela localidade.
A requalificação da picada de acesso à comuna de Cavunga, do clube recreativo de Kilombo dos Dembos, do Comando Municipal da Polícia Nacional e da pista do aeródromo local constam das principais inquietações dos sobas.
Henrique júnior avançou que as preocupações apresentadas estão já identificadas e constam das prioridades do plano de desenvolvimento para o ano de 2010.

    Estradas

As vias de acesso que ligam o município do Ngonguembo aos da Banga, Golungo-Alto, Cazengo e Bula Tumba (Bengo), num perímetro de cerca de 200 quilómetros, encontram-se totalmente terraplanadas, permitindo melhor circulação de pessoas e bens, movimento que há dois anos era difícil de se efectuar, devido às péssimas condições que os referidos troços apresentavam.

Tempo

Multimédia