Províncias

Vias de acesso estão em mau estado

Munícipes do Bolongongo, na província do Cuanza Norte, estão preocupados com o avançado estado de degradação das vias internas do município, consideradas como principais factores que entravam o desenvolvimento da região.

Numa ronda efectuada ontem pela Angop, alguns cidadãos afirmaram que, apesar do desenvolvimento que a circunscrição vai registando em vários domínios, durante os 13 anos de paz efectiva, o mau estado das estradas continua a constituir a principal preocupação da população da região.
O professor da comuna de Quiquiemba, António Francisco, disse que, desde o alcance da paz, em 2002, a comuna  registou crescimento em vários domínios, com realce para a construção e reabilitação de escolas, postos de saúde, centros médicos e construção de habitações, mas a situação actual das estradas continua a preocupar as populações.
Amadeu Lucas apontou o avançado estado de degradação das estradas como um factor que tem estado na base de acidentes de viação, degradação das viaturas, dificultando a normal circulação de pessoas e bens, dado que o relevo do município do Bolongongo é montanhoso e com alguns troços de terra batida, que dificultam a circulação automóvel durante a época de chuva.
Manuel Francisco Lomboca disse que além do estado avançado de degradação da estrada, os cidadãos dizem ainda que é preocupante o mau estado de conservação de algumas pontes metálicas existentes na via entre as comunas de Quiquiemba e Terreiro, que têm estado a pôr em risco a segurança das viaturas e de passageiros, dificultando as trocas comerciais na região.
O pastor da Igreja Metodista em Quiquiemba, Jesus Cassula, caracterizou a situação como preocupante, visto que o mau estado das vias tem estado a privar as populações locais dos principais produtos essenciais, porque os comerciantes encontram dificuldades em circular com viaturas na via para o abastecimento das lojas e cantinas.
Bolongongo é um município da província do Cuanza Norte situado a 150 quilómetros da cidade de Ndalatando (capital da província), constituído por uma extensão territorial de 1.018 quilómetros quadrados, que compreendem três comunas: Bolongongo (sede), Terreiro e Quiquiemba.

Tempo

Multimédia