Províncias

Vias recebem novo asfalto

André Brandão | Ndalatando

O director provincial do Instituto Nacional de Estradas (INEA), Mendonça Luís, disse ontem ao Jornal de Angola que 641 quilómetros de estrada, dos quatro mil previstos, foram asfaltados no Kwanza-Norte durante o ano passado.

Reabilitação decorre desde o ano passado
Fotografia: Nilo Mateus | Ndalatando

Mendonça Luís referiu que neste momento encontram-se reabilitadas as vias entre Samba-Cajú e Camabatela, Golungo-Alto/Cambambe e Kilombo Kiaputo/ Ngonguembo.
As estradas reabilitadas possuem valas de drenagem, sinalização ver­tical e horizontal. O director do INEA assegurou que pontualmente as estruturas do Estado realizam trabalhos de manutenção e conservação das vias, particularmente nos troços Lucala/Cacuso, Nda­latando/­Golungo-Alto e entre o Alto-Dondo e o desvio da Mulenga, no sentido sul.
Factores financeiros estão na base da paralisação de várias obras de reabilitação das estradas na região, por parte de algumas empreiteiras, disse Mendonça Luís. O responsável do INEA no Kwanza-Norte enfatizou que as vias que se encontram paralisadas vão, dentro em breve, merecer uma reprogramação, com vista à sua reabilitação.
Nessa conformidade, foram reprogramados os troços entre o município de Samba-Cajú e vila do Terreiro e Kikiemba (Bolongongo), assim como do Alto-Dondo a São Pedro da Kilemba. Nestas condições estão também os corredores dos municípios de Samba Cajú/Kikulungo, Kikulungo/Bolongongo, Bolongongo/BangaeUiagombe/Golungo-Alto. O director disse que no decurso deste ano está ainda prevista a reabilitação de estradas terciárias identificadas.
Neste caso estão incluídos troços entre os municípios de Cazengo, Ambaca, Kikulungo, Samba-Cajú, Lucala e Cambambe. De acordo com Mendonça Luís, está em reabilitação a ponte sobre o rio Luinha, que liga o troço Kilombo Kiaputo a Ngonguembo.
No ano passado, foi concluída a construção da ponte que liga Golungo-Alto ao município de Cambambe. As autoridades, segundo o director do INEA, prevêem reabilitar as pontes sobre os rios Kiringo e Mucoso, no município de Cambambe-Dondo, ainda sem disponibilidade financeira.

Tempo

Multimédia