Províncias

Vila da Banga tem novas obras públicas

Kátia Ramos| Ndalatando

O município da Banga foi um dos mais afectados durante o conflito armado. Hoje são quase nulos os sinais de guerra e observa-se uma Banga em desenvolvimento, com várias obras sociais e económicas em construção, num esforço do Executivo.

O município da Banga foi um dos mais afectados durante o conflito armado. Hoje são quase nulos os sinais de guerra e observa-se uma Banga em desenvolvimento, com várias obras sociais e económicas em construção, num esforço do Executivo.
Os sectores da Educação e da Saúde são os que mais crescem, com a reabilitação e construção de postos de saúde, centros médicos e várias escolas. O administrador municipal, Cristóvão João Quieza, disse ao Jornal de Angola que o projecto gizado pelo Executivo está a permitir uma vida melhor aos habitantes das três comunas que compõem o município.
No município da Banga estão a ser desenvolvidas várias acções, como a instalação do sistema de abastecimento de água potável, energia eléctrica, construção de unidades sanitárias e de ensino, além do investimento que está a ser feito no sector pecuário.
Os projectos em curso no município, segundo a administradora, incluem a canalização de água em chafarizes e ao domicílio, bem como a construção de lavandarias. As obras estão orçadas em 214 milhões de kwanzas e a empreitada enquadra-se no Programa Municipal Integrado do Combate à Pobreza.Cristóvão João Quieza sublinhou que a verba disponibilizada anualmente ao município está a servir para dinamizar os serviços de saúde, educação, reabertura de vias rodoviárias permitindo, deste modo, o escoamento de produtos do campo.
Neste momento está em curso um projecto de requalificação das vias com trabalho de terraplenagem para permitir a circulação de pessoas e bens, disse o administrador, recordando que administração está a zelar pela rede interna de distribuição de água potável ao domicílio e chafarizes, tendo este projecto beneficiado cerca de 13 famílias e mais de 90 residências.
Em relação à expansão da energia eléctrica, assegurou que as comunas de Caculo Cabaça, Cariamba e Aldeia Nova já beneficiam do fornecimento de energia eléctrica.
No município da Banga existem sete unidades sanitárias em funcionamento, distribuídas pelas três comunas. Além disso, está em fase de conclusão o centro médico, localizado no centro da vila. Enfermeiros e outros especialistas, num total de 100 técnicos, garantem a assistência médica e medicamentosa, mas o administrador considera insuficiente este número.
Cristóvão João Quieza lamenta o facto do quadro clínico dispor apenas de um médico e lembrou que para fazer face às necessidades necessitam de mais quatro médicos e 20 enfermeiros.
O município conta com 35 esco­las, sendo 12 construídas de raiz e 23 de carácter provisório e as aulas são asseguradas por 45 professores. Fora do sistema de ensino estão cerca de 120 crianças em idade escolar.
Neste ano lectivo estão matriculados mais de 20 mil alunos, do primário ao ensino médio. Nos últimos dois anos, houve um aumento em função da recuperação e construção de 35 escolas.
No município da Banga estão em construção 100 fogos habitacionais, numa extensão de 40 hectares. Cristóvão João Quieza disse que Banga ficou totalmente destruído pela guerra, o que obrigou, na altura, à retirada da população.

Tempo

Multimédia