Províncias

Violência doméstica tende a aumentar

André Brandão| Ndalatando

Professores, efectivos da Polícia Nacional e elementos que exercem actividade de moto-táxi na província do Cuanza-Norte são apontados, pela Família e Igualdade do Género, como os maiores incumpridores de pagamentos de mesada e abandono do lar, segundo o chefe de Departamento Provincial da instituição.

Ndalatando regista muitos casos de violência doméstica
Fotografia: Edições Novembro

Eliseu Miguel, citando o relatório do terceiro trimestre desde ano, disse que dos 184 casos de incumprimento de mesada registados na província 100 envolvem professores e agentes da Polícia Nacional, 60 mototaxistas e 23 cidadãos desempregados.
O responsável disse que foi registado 388 casos de conflitos familiares, com maior destaque para o incumprimento de mesada (184), abandono do lar (57), ofensas morais e corporais (48 e 25), chantagens (16), despejos (15), adultérios (14), usurpação de bens (8), privação de bens (7), acusação de feitiçaria (6), ciúmes, ameaças de morte com arma branca e contaminação dolosa de HIV/Sida, cada um com uma ocorrência.
Eliseu Miguel explicou que, em vários pontos das ruas da cidade de Ndalatando é comum ver muitas crianças pedintes, na maioria entre os 5 e 13 anos, algumas delas sujas, descalças e com aspecto de malnutrição.
O responsável disse ainda que as crianças, muitas delas com pais e familiares nos bairros da periferia da cidade, permanecem frequentemente nas maiores superfícies comerciais de Ndalatando.

Tempo

Multimédia