Províncias

Abastecimento melhora até Dezembro

Domingos Mucuta | Lubango

O problema de abastecimento de água potável à população dos bairros da cidade do Lubango vai ser ultrapassado em Dezembro próximocom a conclusão das obras de reabilitação e modernização da rede de distribuição.

Rede de distribuição está concluída e ligada às estações de captação e tratamento de água
Fotografia: Nilo Gomes

O director nacional das Águas e Saneamento, Lucrécio Costa, garantiu ontem, no acto de lançamento do projecto de extensão da rede de distribuição para os bairros Lucrécia e Lage, estarem criadas condições para que, a partir de Dezembro, a população do município do  Lubango beneficie com regularidade da água potável.
O director nacional das Águas e Saneamento disse que a rede de distribuição do centro da cidade está concluída e ligada às principais estações de captação e tratamento de água potável da Senhora do Monte, Tundavala e Humpata, no quadro da cooperação com aAlemanha.
Para a conclusão desta obra foram empregues 90 milhões de euros.Na sua deslocação à cidade do Lubango, o director nacional das Águas e Saneamento observou os trabalhos em curso na zona da Humpata, onde decorre a abertura de furos que vai bombearem média 450 metros cúbicos de água por hora para a estação da Senhora do Monte.
“Vamos melhorar o abastecimento de água na cidade do Lubango, aumentando o consumo. Estamos a trabalhar neste sentido e tudo aponta que em Dezembro a população vai deixar de parte esta preocupação”, esclareceu Lucrécio Costa. Os trabalhos em curso vão permitir o aumento do volume e da qualidade da água e efectuar 4.500 ligações domiciliares. O director nacional das Águas e SaneamentoLucrécio Costa disse que houve um aumento de custo na melhoria da qualidade dos serviços que obriga o sector a criar a empresa de água para assegurar a gestão comercial e garantir o equilíbrio económico.
Os moradores dos bairros periféricos da cidade do Lubango continuam a percorrer longas distâncias em busca de água potável nos furos existentes e muitos recorrem a camiões cisternas, uma situa que será ultrapassado em breve. Para atenuar o problema, o director nacional das Águas e Saneamento, em companhia da Miss Angola, inaugurou três pontos de captação subterrânea de água, com capacidade de bombagem de 500 metros cúbicos por hora, no bairro Comandante Cowboy.
Cada sistema de distribuição de água  custou aos cofres do Estado cerca de 10 milhões de kwanzas e foi realizado no quadro do programa “Água Para Todos”.

Tempo

Multimédia