Províncias

Administração municipal redinamiza sector agrícola

Casimiro José |Uku -Seles

O administrador municipal do Uku-Seles sublinhou, na terça-feira, ao Jornal de Angola, a revitalização do sector empresarial agrícola como condição fundamental para o combate à fome e á pobreza.

O administrador municipal do Uku-Seles sublinhou, na terça-feira, ao Jornal de Angola, a revitalização do sector empresarial agrícola como condição fundamental para o combate à fome e á pobreza.
Rui Miguel referiu a importância da afirmação dos agricultores locais no mundo empresarial para disporem de recursos capazes de porem a funcionar a máquina produtiva para satisfazer as necessidades locais e para exportação.
No município do Uku-Seles há 124 fazendas, das quais 70 na área agro-pecuária, 54 destinadas à cultura do café, dez cooperativas e 14 associações, mas, por falta de recursos financeiros, a maioria está inactiva há bastante tempo.
Para inverter este quadro, a administração local está a fazer o levantamento da situação do funcionamento das fazendas. “Estamos a trabalhar no sentido de identificarmos as vias que possam atenuar a crise financeira que assola os nossos agricultores porque temos consciência que o desenvolvimento do nosso município passa pela organização do sector agrícola”, frisou o administrador.
Rui Miguel pediu aos detentores de fazendas que encarem o processo como a “força motriz” para “elevar o município a altos patamares de desenvolvimento”. 
“Se olharmos para os índices de desenvolvimento de outros municípios da província vamos compreender que a principal alavanca é o sector empresarial privado que está a investir, reservando-se o governo à definição de políticas e isso não é possível se continuarmos a agir passivamente”, disse.
O administrador defendeu “a promoção de sinergias para a adopção de uma cadeia que aglutine a agricultura, a indústria e a rede comercial” do município potencialmente rico em milho e feijão.

Tempo

Multimédia