Províncias

Administração sem dinheiro para a reparação das estradas

Casimiro José | Ebo

O administrador municipal do Ebo, Rui Feliciano Miguel, afirmou que é impossível resolver a situação das estradas, que se encontram em péssimo estado, tendo em conta os enormes recursos financeiros que a sua recuperação envolve: “os fundos cabimentados para os projectos deste ano não contemplam a reparação das estradas e, por isso, não podemos resolver o problema”.

Péssimo estado das vias de acesso está a fazer subir o frete no transporte de mercadorias
Fotografia: www.jaimagens.com

Rui Miguel pediu às estruturas provinciais e centrais para encontrarem forma de repor a normal circulação rodoviária no Ebo. Os utentes de viaturas, que vivem dos fretes de transporte  de marcadorias, lamentam o estado das vias e pedem a intervenção urgente das autoridades provinciais.
Luciano Baptista, camionista, disse que o mau estado das vias, além de afugentar os proprietários de viaturas, também contribui para o encarecimento do frete e dos produtos. “Não é fácil atingir a localidade da Choa. Dado o estado da via, podemos considerar um atrevimento estar aqui, pelos danos que a estrada causa ao carro”, frisou o camionista Luciano Baptista.
Luciano Baptista disse que os fretes vão dos 500 a 800 kwanzas por saco, valores que considera ínfimos para recuperar os estragos causados aos carros, devido ao péssimo estado das estradas.

Tempo

Multimédia