Províncias

Agricultura aposta na produção de café

Manuel Tomás |Sumbe

A Direcção Provincial da Agricultura (MINAGRI) projectou para este ano o fomento da cafeicultura da variedade robusta e arábica nos municípios onde esta cultura é predominante, Amboim (Gabela), Libolo, Kilenda, Conda e Seles.

A região é potencial produtora de café
Fotografia: Jornal de Angola

A Direcção Provincial da Agricultura (MINAGRI) projectou para este ano o fomento da cafeicultura da variedade robusta e arábica nos municípios onde esta cultura é predominante, Amboim (Gabela), Libolo, Kilenda, Conda e Seles. Também pretende criar mecanismos que permitam a sua comercialização e escoamento.
O programa da Direcção Provincial da Agricultura vai fazer o acompanhamento dos projectos do algodão irrigado em 3.100 hectares na área da Gangula (Sumbe), da cana-de-açúcar (Procana) em cerca de 42 mil hectares no município da Quibala, incremento da suinicultura, melhoramento do gado bovino, aumento da produção do leite, ovos, criação de polígonos florestais, apoio ao programa “Angola Jovem” e à mulher rural.
O director provincial do Minagri, Domingos Afonso Mário Huambo, disse que o Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural (PDR), em execução há mais de quatro anos, em dez municípios dos 12 existentes no Kwanza-Sul, beneficiou 99.730 famílias camponesas e pequenos agricultores.
Domingos Afonso Mário Huambo informou que no sector empresarial foram licenciados 2.618 agricultore e destes 916 estiveram envolvidos na campanha agrícola e estima-se que tenham cultivado uma média de 66,6 hectares, produzindo 64.197 toneladas de diversos produtos do campo.
O director da Agricultura frisou que no sector estiveram envolvidas 258.305 famílias camponesas distribuídas por 2.496 aldeias e salientou que o movimento associativo cresceu significativamente, pois foram criadas 442 associações, integrando 27.851 associados e 80 cooperativas com 7.325 membros.

Produção reduzida

Das 2.140 toneladas que estava previsto colher no ano passado, apenas se atingiu a cifra de 1.271 toneladas, entre cereais, hortícolas, tubérculos e frutas. Este défice deveu-se à irregularidade das chuvas nas áreas potencialmente agrícolas. De acordo com Mário Huambo, a produção alcançada foi trabalhada numa área de 584.266 hectares, dos 586.831 previstos. O sector empresarial executou 18.577 hectares, ao passo que o camponês participou com outros 565.689. 
Domingos Afonso Mário Huambo informou que a empresa Mecanagro, no cumprimento do Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural, preparou 3.407 hectares para as famílias camponesas e pequenos agricultores, enquanto o sector empresarial mecanizou acima de 10 mil hectares.

Crescimento da Pecuária

A província do Kwanza-Sul, além da agricultura, também é potencialmente rica na pecuária, que tem vindo a conhecer índices de desenvolvimento significativos. Actualmente, estima-se a existência na região de mais de 126.016 bovinos, 31.667 suínos, 16.693 ovinos, 91.115 caprinos e 301.721 aves.
O responsável da Agricultura salientou que o investimento privado desempenhou um papel preponderante, visto que no município de Porto Amboim se instalou uma fábrica de processamento de tomate e de fruta, ao passo que no Libolo foi montado um matadouro.
“O projecto aldeia nova, em curso no município da Cela, é já uma realidade, há dois anos, tendo conhecido um grandioso crescimento, satisfazendo a população da província e de todo o país, fornecendo produtos agrícolas, pecuários e seus derivados”, disse Mário Huambo, tendo acrescentado que o sector privado tem em curso projectos agrícolas, como o da “Cabuta”, “Mato Grosso” e “Mundo Verde”.
A Direcção Provincial da Agricultura criou, no ano passado, mais de 50 mil postos de trabalho.

Tempo

Multimédia