Províncias

Antigo cemitério do Sumbe ganha estatuto de monumento

Manuel Tomás | Sumbe

O antigo cemitério municipal do Sumbe, localizado no bairro do Calundo, está a ser transformado em monumento, em função do elevado grau de degradação, revelou ontem o administrador local.

A empresa construtora catalogou todas as campas identificadas e por via satélite fotografou o local para permitir o registo
Fotografia: Fernando Camilo

O antigo cemitério municipal do Sumbe, localizado no bairro do Calundo, está a ser transformado em monumento, em função do elevado grau de degradação, revelou ontem o administrador local.
Sebastião Neto disse que o futuro cemitério monumento do Sumbe está situado numa zona onde o nível freático é extremamente elevado.
O administrador municipal do Sumbe salientou que a empreitada, a cargo da empresa brasileira Odebrechet, decorre de forma satisfatória, no âmbito do programa de requalificação da capital da província do Kwanza-Sul.
Explicou que a empresa construtora catalogou todas as campas identificadas com números e nomes de finados e, por via satélite, fotografou o local para permitir o seu cadastramento.
Neste momento, disse o administrador, o cemitério está a ser alterado para, posteriormente, ser relvado em toda a sua extensão.
Sebastião Neto acrescentou que a demarcação das campas será efectuada por cima da relva, onde estará estampada a identificação completa do defunto para fácil reconhecimento. O administrador do Sumbe adiantou igualmente que, com vista a conferir maior dignidade ao cemitério está a ser restaurada a capela, jazigos e outras áreas do cemitério.
A cidade do Sumbe dispõe de um novo cemitério municipal, depois do encerramento de outros dois, nos bairros do Chingo e Bumba, respectivamente.
Duas missas de acção de graças, uma na Sé Catedral e outra no cemitério municipal do Sumbe, marcaram o dia dedicado aos fieis defuntos, com cultos celebrados pelos padres Alfredo Lupata e Guilherme Albino.
Após as missas, alguns citadinos mostraram-se desapontados com o comportamento de muitos cidadãos, que nas cerimónias fúnebres fazem uso de telemóveis, bebidas alcoólicas, trajes extravagantes e praticam cenas indecorosas.Os familiares e amigos aproveitaram o dia para proceder a limpeza, colocação de flores, pintar as campas, orações e outras actividades, com vista a relembrar a memória dos seus entes queridos.

Tempo

Multimédia