Províncias

Arranque das aulas na Escola 14 de Abril atrasado por obras e falta de professores

Manuel Tomás | Sumbe

O atraso no pagamento ao empreiteiro para a remodelação e construção de dependências da escola do Ensino Secundário do Primeiro Ciclo 14 de Abril, no Sumbe, está a deixar 200 alunos sem aulas.

Com a conclusão das obras, mais alunos entram para o sistema de ensino
Fotografia: Manuel Tomás

O atraso no pagamento ao empreiteiro para a remodelação e construção de dependências da escola do Ensino Secundário do Primeiro Ciclo 14 de Abril, no Sumbe, está a deixar 200 alunos sem aulas.
A escola, com 46 salas de aulas, das quais apenas 30 estão actualmente disponíveis para o período diurno e nocturno, estava em obras de remodelação e a construção de outras dependências.
A directora da escola, Margarida Chipuco, afirmou que a não conclusão das obras está a causar transtornos à organização das aulas. “Muitos alunos já matriculados e com vontade de aumentar os seus conhecimentos académicos estão sem participar nas aulas porque as salas estão em condições precárias”, justificou.
O empreiteiro, o Grupo Jonce -Sociedade de Construção e Engenharia, garante, no entanto, a continuidade dos trabalhos. O técnico de obras José Pinho, da construtora, afirmou que os trabalhos de reabilitação da escola “prosseguem sem sobressaltos, embora se tenha registado uma ligeira morosidade por razões financeiras”.
De acordo com José Pinho consta   o contrato prevê a construção de mais 16 salas de aulas e laboratórios, pintura geral do edifício, reparação do pavimento, execução de fossas sépticas, rampas para deficientes, passeios circundantes ao edifícios, conclusão do campo de futebol, parque de estacionamento e colocação de pára-raios.
O número de 140 professores é também considerado insuficiente e a direcção da escola estima ser necessário recrutar mais 50 docentes.

Tempo

Multimédia