Províncias

Associação de deficientes pede mais meios técnicos

Manuel Tomás| Sumbe

A Associação Nacional dos Deficientes de Angola (ANDA), na província do Kwanza-Sul, está preocupada com a falta de material a nível do centro de reabilitação física do Amboim, na Gabela.

A Associação Nacional dos Deficientes de Angola (ANDA), na província do Kwanza-Sul, está preocupada com a falta de material a nível do centro de reabilitação física do Amboim, na Gabela.
O delegado local da ANDA, Araújo Júlio, avançou que a associação está a desenvolver esforços para a reabilitação dos portadores de deficiências, que se movimentam com próteses.
A falta de material no centro não tem permitido o avanço dos trabalhos. O delegado provincial da ANDA revelou que a Fundação Lwini está interessada em apoiar o centro de reabilitação física do Amboim.
Neste momento, o centro, que consegue apenas fazer reabilitações paliativas de alguns membros, já ajudou portadores de deficiências físicas dos municípios do Sumbe, Ebo, Quilenda, Quibala e Seles. O responsável local da ANDA disse que a associação tem 225 associados portadores de deficiências que se formaram em diversas especialidades em centros de formação profissional, dos quais 125 não beneficiaram de ferramentas para exercer a profissão.
Araújo Júlio salientou que a associação controla cerca de 7.375 pessoas portadoras de deficiências, vítimas de minas, ex-militares, entre outros.

Programa de moto-táxis

Nos últimos anos, a ANDA tinha constituído uma cooperativa, com 60 membros, que esteve virada para a área de moto-táxis e possuía 12 veículos. Este programa está actualmente inoperante, devido à falta de acessórios, originando a paralisação total.

Tempo

Multimédia