Províncias

Associação recebe apoio para a pesca artesanal

Manuel Tomás | Sumbe

A Associação dos Deficientes de Angola (ANDA) no Cuanza Sul recebeu um donativo de cerca de dois milhões de kwanzas para o fomento da pesca artesanal, com vista a minimizar as dificuldades dos assistidos envolvidos na actividade.

Motor de bordo e outros materiais para construção de chatas foram entregues aos pescadores
Fotografia: Paulo Mulaza

O delegado provincial da ANDA, Araújo Júnior, disse terça-feira, no Sumbe, que os valores, uma ajuda de iniciativa do presidente da Associação, servem para garantir especialmente artefactos de pesca.
O donativo surge na sequência do lançamento do programa “ANDA Deficiente”, que a nível do Cuanza Sul vai abranger 1.750 deficientes e seus familiares, de um total de 4.025 inscritos na Associação.
Um motor de bordo, redes e outro material para a confecção das chatas já foram adquiridos, no sentido de se equipar convenientemente a cooperativa com meios técnicos que permitam obter níveis satisfatórios de captura de pescado. O delegado da ANDA disse que para a primeira fase foram abrangidos 20 assistidos, entre marinheiros, técnicos e administrativos, que vão trabalhar na única embarcação pertencente à primeira cooperativa de pesca artesanal constituída nesta região.
O programa  da Associação  dos Deficientes de Angola (ANDA D)  foi aberto recentemente, na cidade do Sumbe, pelo presidente da ANDA, Silva Lopes Etiambulo, e prevê estender-se às diversas províncias do país.
A nível do Cuanza Sul são criados 15 quiosques nos 12 municípios. O programa possui uma componente social, consubstanciada na entrega de chapas de zinco ou de lusalite e outro material de construção.
O programa visa essencialmente suprir as dificuldades que os assistidos e seus familiares enfrentam, assim como facilitar a sua inserção no processo produtivo, para que não se sintam dissociados da sociedade.

Tempo

Multimédia