Províncias

Autoridade tradicional quer crianças a estudar

O soba da aldeia de Cabeça da Baleia, comuna do Quicombo, província do Kwanza-Sul, António José, alertou na terça-feira para a necessidade de existência de uma escola do ensino primário, para inserir no sistema normal de ensino as crianças que estão sem estudar.

O soba da aldeia de Cabeça da Baleia, comuna do Quicombo, província do Kwanza-Sul, António José, alertou na terça-feira para a necessidade de existência de uma escola do ensino primário, para inserir no sistema normal de ensino as crianças que estão sem estudar.
“A escola está instalada na Casa Branca, na estrada nacional que liga a cidade do Sumbe ao Lobito e fica a seis quilómetros da aldeia. Por falta de meios de transporte, o percurso é feito a pé”, realçou a fonte, acrescentando que, com crianças torna-se complicado levá-las todos os dias. Nesta condição, encontram-se 64 crianças.
A comunidade, disse a autoridade tradicional, está sensibilizada, caso a administração municipal, a quem já endereçou pedidos, responda favoravelmente à construção de salas provisórias.
A autoridade pede igualmente que sejam instaladas salas de alfabetização para que os adultos possam saber ler e escrever.
“Há várias oportunidade que o governo tem dado, por exemplo, do microcrédito e é complicado para as pessoas que não sabem ler nem escrever, entenderem bem os conteúdos dos contratos,” afirmou.Nesta perspectiva , salientou, a todo um esforço que será feito no sentido de se contornar a situação, para que toda população possa beneficiar do programa do governo. A região Cabeça da Baleia, com 340 habitantes, é uma aldeia que se localiza na zona litoral, tendo como principal actividade a pesca.

Tempo

Multimédia