Províncias

Bilhete de Identidade emitido na Quilenda

Casimiro José | Quilenda

O departamento de Identificação Civil e Criminal do Kwanza-Sul instalou, na sede do município da Quilenda, um posto móvel para emissão do Bilhete de Identidade, no quadro da aproximação dos serviços públicos às populações.

Soba Silvério Chibanda de Banza Songo
Fotografia: Casimiro José|Quilenda

O departamento de Identificação Civil e Criminal do Kwanza-Sul instalou, na sede do município da Quilenda, um posto móvel para emissão do Bilhete de Identidade, no quadro da aproximação dos serviços públicos às populações.
O técnico do posto, Gildo de Oliveira, revelou ao Jornal de Angola que o sistema instalado no Quilenda funciona regularmente e atente em média 50 cidadãos por dia. A permanência do posto no município depende da afluência da população.  
“Estamos neste local há já alguns dias. As pessoas chegam ao posto oriundas das aldeias e comunas próximas do município de Quilenda e por isso não sabemos quando é que vamos concluir o nosso trabalho”, disse. 
Os munícipes manifestaram a sua satisfação pelo facto do Governo Provincial ter criado condições para permitir que as populações não percorram longas distâncias para tratar do Bilhete de Identidade. Rosa Filipe, moradora no bairro Kipungo, referiu que é uma grande satisfação “tratar do Bilhete de Identidade sem ter de sair daqui, como acontecia no passado”.
O soba Silvério Chibanda, de Banza Songo Riambimbi, está “muito satisfeito” com a instalação do posto móvel que possibilita aos munícipes obterem o Bilhete de Identidade com grande facilidade, ao contrário dos anos anteriores.
“Estamos muito alegres com a instalação dos serviços no nosso município, porque antes tínhamos que nos deslocar longas distâncias para obtermos o Bilhete de Identidade. Esta é, para nós, uma bênção”, frisou.
Com o Bilhete de Identidade, disse, “mais facilmente podemos obter o crédito de campanha agrícola”. Mas o soba chamou à atenção das autoridades para o elevado preço de uma certidão de nascimento: “estão a cobrar três mil kwanzas por uma certidão narrativa completa de nascimento ou a cópia íntegra. Isso é muito dinheiro para uma população que é maioritariamente de camponeses”.
Antes da instalação do posto móvel, os habitantes da Quilenda tinham de se deslocar à Gabela ou ao Sumbe para tratar do Bilhete de Identidade.

Tempo

Multimédia