Províncias

Calulo sem médicos de especialidade

Casimiro José | Calulo

O hospital municipal de Calulo, na província do Kwanza-Sul, precisa de médicos das especialidades de neurocirurgia, oftalmologia e de endoscópio digestiva para manter funcionais os equipamentos adquiridos para estas áreas.

Autoridades expandem os serviços de saúde para baixar os índices de mortalidade
Fotografia: Jornal de Angola

O hospital municipal de Calulo, na província do Kwanza-Sul, precisa de médicos das especialidades de neurocirurgia, oftalmologia e de endoscópio digestiva para manter funcionais os equipamentos adquiridos para estas áreas.
O director administrativo da unidade hospitalar, Vasco Mateia, considerou na terça-feira que a situação é preocupante.
Por isso, pede que se reverta a situação o mais rápido possível, uma vez que os equipamentos podem deteriorar-se, redundando em prejuízo para o Estado.
O responsável adiantou que, apesar dos equipamentos que a unidade hospitalar possui, os pacientes das áreas de neurocirurgia e de oncologia ainda são evacuados para a província de Luanda.
 Para o director administrativo do hospital municipal de Calulo, a solução passa pela contratação de médicos das referidas especialidades, cujos serviços são solicitados pelos habitantes do Kwanza-Sul e de regiões vizinhas.

Novos equipamentos

O hospital presta, desde 2008, uma gama de cuidados médicos e assistência medicamentosa, possuindo equipamentos de última geração para consultas e diagnósticos de medicina geral, neonatologia, infecciologia, maternidade, ortopedia, radiologia, imagiologia, odontologia, cirurgia e de testagem e aconselhamento sobre o VIH/SIDA.
O estabelecimento conta com um corpo clínico constituído por 14 médicos, 58 enfermeiros e três catalogadores, que, apesar da boa vontade, não conseguem fazer face às necessidades, salientou Vasco Mateia.   O director administrativo revelou que os serviços de laboratório, que contam apenas com quatro dos 12 técnicos necessários e de um médico especializado, estão mais carenciados em termos de recursos humanos.
 Relativamente aos serviços auxiliares, o hospital de Calulo conta com duas ambulâncias e dispõe de corrente eléctrica da rede pública, que é auxiliada por quatro grupos geradores.
 
Consultas pré-natais
 
O chefe de repartição de Saúde do Libolo, José Fernando Manuel, disse que 4.935 mulheres grávidas, com idades compreendidas entre os 16 e 35 anos, efectuaram consultas pré-natais no primeiro semestre de 2011.
A adesão aos serviços de maternidade reduziu as complicações de parto em relação aos anos anteriores, associada ao aumento do uso de mosquiteiros pelas gestantes. Apesar disso, o chefe de repartição garantiu que as campanhas de sensibilização sobre os cuidados de saúde a nível das comunidades, com vista à redução da mortalidade infantil no município do Libolo, vão continuar.
 
Testes de SIDA
 
O Centro de Aconselhamento e Testagem Voluntária (CATV) e os serviços do Programa de Corte de Transmissão Vertical (PTV) testaram 999 pessoas no primeiro semestre deste ano, apesar das dificuldades materiais.
O supervisor Gouveia António Victor disse que, do total, 521 eram mulheres grávidas, 312 não grávidas e 166 homens, tendo sido detectados 14 casos seropositivos, sendo nove gestantes.
A par da carência de técnicos, segundo o supervisor Gouveia António Victor, os serviços do CATV não possuem aparelhos de CD4 e para análise de hemograma, bem como equipamentos informáticos para processamento de dados.

Tempo

Multimédia