Províncias

Câmara de Almada apoia projecto de construção de centro comunitário

Casimiro José| Sumbe

A Câmara Municipal de Almada, Portugal, procedeu à entregou na cidade do Wako Kungo, província do Kwanza-Sul, de um projecto para a construção de um centro comunitário paroquial da Sé Nova, no quadro do protocolo de geminação entre a cidade portuguesa e o município da Cela.

A arquitecta da Câmara Municipal da Almada (à direita) fez a entrega do projecto
Fotografia: Casimiro José| Sumbe

A Câmara Municipal de Almada, Portugal, procedeu à entregou na cidade do Wako Kungo, província do Kwanza-Sul, de um projecto para a construção de um centro comunitário paroquial da Sé Nova, no quadro do protocolo de geminação entre a cidade portuguesa e o município da Cela. O acto foi presidido pela vice-governadora da província  do Kwanza-Sul para o Sector Social, Fernanda de Almeida.
O centro comunitário, a ser construído no perímetro adjacente à Sé Nova, no aldeamento 9, vai ter dez salas de aulas, uma sala polivalente, biblioteca, arquivo e área administrativa. O edifício irá dispor de gabinete de direcção e para professores, sala de atendimento aos encarregados de educação, bem como de um refeitório e uma cozinha.
No espaço exterior, o centro vai contar com áreas de recreio semi-cobertas, com 424 metros quadrados, uma zona verde com equipamento lúdico e outras áreas de recreio.
Durante a apresentação sumária do projecto, a arquitecta da Câmara Municipal de Almada, Fátima Alves, destacou a construção das dez salas de aulas, que vão aliviar a carência que se faz sentir em termos de escolas. 
Fátima Alves lembrou que “as relações entre os dois povos devem ser fortalecidas com acções concretas, cujo impacto incida na vida das pessoas que necessitam”.  A participação da Câmara Municipal de Almada no projecto consiste na elaboração do projecto e nas futuras acções que se prendem com as redes técnicas no local.
Quanto às outras intervenções, o projecto conta com o apoio de instituições públicas e privadas de Angola. O administrador municipal da Cela, Isaías Luciano, na qualidade de anfitrião, manifestou satisfação em nome dos habitantes da região, tendo sublinhado que as excelentes relações com a Câmara Municipal de Almada ganham maior dimensão com a apresentação do projecto de construção do centro comunitário.
“Com a apresentação do projecto de construção do centro comunitário, estamos a viver um momento ímpar que justifica as nossas relações, no quadro do protocolo de geminação”, frisou.
O administrador reiterou a necessidade do envolvimento de todas as forças do município para a concretização do projecto.
O coordenador das obras do centro comunitário, pároco Armando Patrício Kitumba, disse ao Jornal de Angola que o projecto traduz o renascer de esperanças dos habitantes do município da Cela, pelo facto de incorporar acções de maior alcance social, a nível da formação integral dos jovens e da ocupação racional dos tempos livres.  O pároco da Sé Nova fez saber que, das 25 mil crianças em idade escolar que vivem na periferia do local onde vai ser construído o centro comunitário, apenas estão a estudar 250, por falta de escolas.
Ao encerrar o acto de apresentação do projecto comunitário, a vice-governadora Fernanda de Almeida considerou que as relações entre os governos de Angola e de Portugal estendem-se nos mais variados domínios, tendo reconhecido que a apresentação do projecto do centro comunitário constitui uma prova. Fernanda de Almeida, que manifestou igualmente o interesse do governo da província do Kwanza-Sul de colaborar com os meios ao seu alcance o referido projecto, solicitou da Câmara Municipal de Almada apoio multiforme ao processo de formação integral dos jovens. A apresentação do projecto foi testemunhada por membros da administração municipal da Cela, entidades religiosas, fiéis e população em geral

Tempo

Multimédia