Províncias

Campanha agrícola comprometida no Amboim

Manuel Tomás |Gabela

A insuficiência de chuvas no município do Amboim pode comprometer a produção da época agrícola 2011/2012, por dificultar o desenvolvimento das culturas de milho, feijão e de hortícolas.

Camponeses da região têm recebido vários apoios para poderem aumentar a produção no âmbito do programa de combate à fome
Fotografia: Dombele Bernardo

A insuficiência de chuvas no município do Amboim pode comprometer a produção da época agrícola 2011/2012, por dificultar o desenvolvimento das culturas de milho, feijão e de hortícolas. O chefe da repartição da Agricultura do Amboim, Pascoal Miranda, disse ao Jornal de Angola que se prevê um  mau ano agrícola e referiu que os stocks existentes devem chegar apenas até ao mês de Julho. Depois dessa data deixa de haver milho e feijão em abundância, facto que nunca se verificou neste município, com fortes potencialidades agrícolas.
“Estamos à espera da chuva e nesta altura era importante que nos fonecessem sementes, principalmente de feijão, para ver se conseguimos cobrir o défice alimentar durante a segunda época, que começa em Março próximo e cujos preparativos deviam começar este mês”, frisou.
No município do Amboim, muitos camponeses praticam a agricultura de sequeiro, cultivando hortícolas que dependem fortemente das chuvas. A produção na época passada cifrou-se em 303 mil toneladas de produtos. Para a presente época agrícola, o município recebeu apenas de 25 toneladas de sementes de milho e outras 20 de batata, quantidades insuficientes para as necessidades.
Pascoal Miranda informou que de 63.000 hectares de terra disponibilizados, a Mecanagro desbravou apenas mil hectares. Devido à irregularidade da referida empresa, que esteve três anos ausente da região, os camponeses recorrem aos serviços de particulares que cobram preços acima do normal.
O responsável da Agricultura no Amboim explicou que o processo de concessão de crédito abrangeu 76 associações, contemplando 1.193 beneficiários, aos quais está a ser transmitida a mensagem sobre a necessidade do reembolso dos valores recebidos, para que na próxima etapa outros camponeses possam ter acesso.

Aumento da produção

Pascoal Miranda reconheceu que, em função do crédito agrícola de campanha no município, os agricultores aumentaram os níveis de produção. Na região operam o Banco de Poupança e Crédito e o Banco de Fomento Angola. O BIC e o BPC estão prestes a iniciar os seus serviços.
Fruto da alta produção alcançada na época passada (mais de 300.000 toneladas de produtos), o mercado atingiu uma elevada oferta e os preços baixaram substancialmente, o que originou a perda de produtos, principalmente hortícolas. As frutas tiveram o mesmo problema e deterioraram-se mais de cinco mil toneladas de abacaxi por falta de escoamento.
A ministra do Comércio deu instruções para que os serviços registassem os produtores a fim de encetar contactos com o supermercado Jumbo, para onde devem canalizar os produtos agrícolas do Amboim. A medida teve efeitos positivos, já que muitos produtores continuam a fornecer produtos ao Jumbo.
Pascoal Miranda revelou que no Amboim há  uma população rural de 40.000 famílias, que se debatem com dificuldades na comercialização dos excedentes da produção. O chefe de repartição municipal da Agricultura do Amboim explicou que a política do comércio rural nunca funcionou na região, mas que, agora que estão ultrapassados os factores impeditivos, este ano vai ser instalado com maior eficácia.  Para isso, defende a criação de zonas que representem duas ou mais comunidades para instalar um comércio diversificado, que não se limite a comercializar  bens alimentares, mas também instrumentos agrícolas, sementes, fertilizantes e meios de locomoção, como motorizadas e bicicletas.
O sucesso da agricultura no município pode aumentar muito rapidamente, caso estes centros de comércio se instalem. Paulo Miranda defende também a instalação de uma grande empresa capaz de absorver os excedentes e com capacidade de criar stocks de produtos para serem vendidos em função das necessidades que o mercado apresentar, de acordo com a política de preços em vigor.

Pólo industrial

Pascoal Miranda deu a conhecer que o município do Amboim vai ganhar, este ano, um projecto agro-industrial, com uma área de 70.000 hectares, onde se vai desenvolver a suinicultura, com uma produção anual de 104.000 suínos, uma fábrica de produção de presunto, chouriço e outros derivados.
Começa em breve a construção de um canal de rega, a partir da área da Sanga até à Boa Viagem, e uma barragem hidroeléctrica para fornecer energia às s indústrias, situada entre Salinas e Boa Viagem. Está também projectada a piscicultura industrial, que vai ser praticada na localidade da Zâmbia.
Está também previsto um projecto com 2.000 hectares para a avicultura, outro com 5.500 hectares para produção de farinha de mandioca e de milho em grande escala. Para a produção de frutas foram projectados 7.000 hectares e a mesma área para a produção de palmares.  A reactivação da produção do café no município do Amboim, que tem solo e clima favoráveis a esse tipo de cultura, também está em marcha. Algumas empresas já se instalarem na região para produzir os famosos lotes do “café Amboim”.

Tempo

Multimédia