Províncias

Camponeses satisfeitos e motivados

Justino Vitorino | Calenga

Os camponeses da cooperativa do Vale do Calai, na comuna da Calenga, município da Caála, no Huambo, estão motivados a aumentar a produção agrícola para obter maior rendimento, graças ao Programa de Aquisição de Produtos Agropecuários (PAPAGRO), um dos grandes incentivos à actividade agrícola. 

PAPAGRO surge para dar resposta às preocupações dos produtores de várias regiões relativamente ao escoamento dos excedentes
Fotografia: Francisco Lopes |

O presidente da cooperativa, Inácio Sonjamba, afirmou que este programa vai facilitar a vida aos camponeses e respectivas famílias, através da comercialização dos seus produtos agrícolas em perfeitas condições de conservação.
O programa foi criado no âmbito do combate à pobreza no meio rural, ao contribuir para o aumento de rendimento dos produtores do campo através das condições que disponibiliza de escoamento da produção agropecuária para os centros de grande consumo.    
“Este programa veio dar resposta às preocupações dos produtores, relativamente ao escoamento dos excedentes, e vai ajudar na redução gradual da pobreza e ao aumento do Produto Interno Bruto”, realçou.
O administrador da comuna da Calenga, uma das maiores produtoras de repolho, cenoura e batata rena na região, Samuel Ntima, sublinhou que o programa vai proteger os camponeses na comercialização dos seus produtos. A produção é entregue ao agente logístico (Estado) no Agromerca mais próximo, que são os mercados rurais, e recebe o seu pagamento directamente do banco e na hora.
 “Trata-se de um programa simples, acessível, através do qual o camponês apenas tem de se deslocar às agromercas para venderem os seus produtos ao agente logístico e os bancos pagam o produto directamente ao camponês”, explicou.  O vice-governador do Huambo para o sector económico, Francisco Fato, esclareceu que as cooperativas e associações de camponeses da Calenga, assim como das outras localidades, desempenham um papel fundamental no crescimento económico das famílias e da província.
A falta de um sistema de comercialização organizado no meio rural foi, de acordo com o vice-governador, um dos factores que condicionou o aumento da produção agropecuária das famílias camponesas, associações, cooperativas e empresas agrícolas, durante muitos anos. Para isso, foi necessário elaborar um programa de reactivação destinado, entre outros propósitos, a incentivar a produção agrícola, aumentar os rendimentos das famílias e valorizar a produção nacional. Francisco Fato informou que o Programa de Aquisição de Produtos Agropecuários é uma iniciativa do Presidente da República, que está profundamente preocupado com actual situação do comércio rural.
O Executivo tem a missão de proporcionar condições para que o agricultor possa vender o seu produto agrícola e adquirir o que precisa na sua própria aldeia, comuna ou município.       
O Ministério da Agricultura e parceiros vão continuar a assistir os produtores e agricultores, dando-lhes conselhos e assistência técnica, para que possam identificar e organizar a sua produção, acrescentou o vice-governador. O director provincial da Agricultura do Huambo, Emitério Tiago, louvou a iniciativa, e considerou que isto representa o relançamento da actividade agrícola para as cooperativas e associações de camponeses, para que gradualmente possam eliminar a pobreza.
O Programa de Aquisição de Produtos Agrícolas vai absorver directamente os produtos do campo, no âmbito da estratégia nacional do comércio rural e empreendedorismo e surge como resposta à problemática de escoamento dos excedentes produtivos.
O PAPAGRO conta com o financiamento do BPC e do Banco de Desenvolvimento Agrícola (BDA), cuja operacionalização vai ser realizada duas vezes por semana.

Tempo

Multimédia