Províncias

Casas sociais para a juventude são entregues só no próximo ano

O director da Juventude e Desportos, no Kwanza-Sul, disse, na semana finda, aos jornalistas, que das 92 casas destinadas a jovens apenas podem ser entregues 81 e não este ano, como o previsto, mas no próximo.

Em quase todo o país estão a ser construídas casas sociais para a juventude
Fotografia: Dombele Bernardo

O director da Juventude e Desportos, no Kwanza-Sul, disse, na semana finda, aos jornalistas, que das 92 casas destinadas a jovens apenas podem ser entregues 81 e não este ano, como o previsto, mas no próximo.
Manuel da Silva justificou o atraso da entrega das casas, todas no Sumbe, no bairro social da juventude, com o facto de “ainda estarem em fase de acabamento as redes técnicas e as fossas”.
  Quanto à redução do número de casas a entregar referiu dever-se a “dificuldades de transporte dos materiais de construção”.
 Sobre o preço das casas afirmou que oscilam entre 30 e 40 mil dólares e que o pagamento é feito em 20 anos, com uma entrada de 10 a 20 por cento.
 O secretário executivo do Conselho Provincial da Juventude manifestou-se “surpreendido com os sucessivos adiamentos” e com a redução do número de casas a entregar.
 Agostinho Mikinho disse que vão ser pedidas explicações ao governador provincial, pois, garantiu, o Conselho Provincial da Juventude e as organizações filiadas não têm nenhuma informação sobre a diminuição do número de casas, nem dos preços a que vão ser vendidas, nem do facto de terem sido canceladas as construções nos outros dois municípios.
 O bairro social da juventude, enquadrado no programa Angola Jovem, do Ministério da Juventude e Desportos, é um dos projectos que visa contribuir para a melhoria das condições de vida dos jovens.
 Os candidatos devem ter entre 20 e 35 anos, actividade profissional remunerada e residência habitual na província onde o projecto é implementado.

Tempo

Multimédia