Províncias

Cela recebe energia de Capanda

Manuel Tomás | Sumbe

Waku Cungo, sede do município da Cela, vai começar a receber energia eléctrica produzida a partir da barragem hidroeléctrica de Cambambe, na província do Cuanza Norte, anunciou o director provincial da Empresa Nacional de Electricidade (ENE), no Cuanza Sul.

Capacidade de distribuição de electricidade vai registar melhorias significativas
Fotografia: Fernando Camilo | Sumbe

Rosário de Almeida explicou que, para isso, já está em curso a primeira fase do projecto de expansão da energia eléctrica, que consiste na ampliação da subestação do Alto Chingo, com uma potência de 220 KVA, contra os 60 anteriores.
Com a ampliação da subestação do Alto Chingo, o director da ENE disse que se pretende fornecer energia eléctrica de qualidade e estendê-la às zonas às quais ela ainda não chega, contribuindo para o desenvolvimento socioeconómico.
Além do Wacu Cungo, a empresa tem em carteira a electrificação de todas as sedes municipais e seus bairros periféricos, para impulsionar o desenvolvimento da região e proporcionar uma melhor qualidade de vida às comunidades.
Rosário de Almeida sublinhou que, para a electrificação das vilas, estão em curso estudos para abranger as localidades que não foram contempladas na primeira fase, cuja documentação foi submetida ao Executivo para aprovação e consequente execução das obras.
O director provincial da ENE explicou que está também em curso a construção da linha, que vai da subestação da Gabela ao Wacu Cungo, e a execução da rede industrial para o fornecimento da energia eléctrica ao projecto do algodão, localizado na área da Quipela, na municipalidade  do Sumbe.
A ENE-Cuanza Sul tem 35.811 clientes registados, sendo 29.179 no sistema normal e os restantes no pré-pago, que está a funcionar na Gabela, com 3.952 clientes, e no Sumbe, com 2.580, estando para breve a sua instalação em Porto Amboim.
Rosário de Almeida esclareceu que o projecto de montagem do sistema pré-pago está a oferecer muitas vantagens, tanto para a empresa como para o cliente, visto que o beneficiário paga o que consome e facilita o trabalho nas cobranças.
O director provincial da ENE realçou que, neste momento, a empresa está implantada no Sumbe, Porto Amboim, Gabela e no Libolo, esta última a ser abastecida directamente de Cambambe, enquanto o Wacu Cungo ainda utiliza geradores.
Em breve, a ENE vai estender agências e serviços às localidades onde ainda não está representada, no âmbito da sua estratégia de expansão e melhoria da qualidade da energia fornecida ao consumidor.

Tempo

Multimédia