Províncias

Centros de desenvolvimento agrário são aposta do Executivo para este ano

Manuel Tomás | Sumbe

O Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas vai apostar, este ano, na reactivação, em todo o país, dos centros de desenvolvimento agrário  para incentivar a produção agrícola, anunciou, no Condé, o secretário de Estado da Agricultura.

Camponeses da província têm recebido vários apoios para poderem aumentar a produção
Fotografia: Jornal de Angola

O Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas vai apostar, este ano, na reactivação, em todo o país, dos centros de desenvolvimento agrário  para incentivar a produção agrícola, anunciou, no Condé, o secretário de Estado da Agricultura.
Amaro Taty fez a revelação naquela localidade do município do Ebo, ao entregar oito viaturas todo-o-terreno a técnicos agrários e motorizadas e inputs agrícolas a camponeses para apoio à campanha agrícola 2012. O secretário de Estado referiu aos camponeses a importância de se empenharem na agricultura, lembrando-lhes que isso é que lhes permite ter um salário e inserir os filhos no processo do ensino e aprendizagem.
Nos centros de desenvolvimento agrário a funcionar nos municípios e nas comunas, disse, há 600 técnicos agrícolas para transmitirem conhecimentos aos camponeses. Esta iniciativa, sublinhou, é uma orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, para fazer com que a produção agrícola cresça.
O secretário de Estado garantiu que há condições para Angola produzir para consumo interno e para exportar. O director provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas declarou estar previsto, para a época agrícola 2011/2012, preparar 330 mil hectares de terra, três mil dos quais com apoio do Instituto de Desenvolvimento Agrícola, da Mecanagro e de parceiros.

Abertura da campanha

Pedro Lambuazou, que falava na abertura da campanha agrícola na Quilenda, disse que, este ano, vão ser dinamizadas as Estações de Desenvolvimento Agrário na Cela, Quibala, Ebo e Cassongue e que se a experiência resultar se estende aos outros municípios.
O director provincial afirmou terem sido contratados e submetidos a uma acção formativa 24 técnicos agrícolas, que vão ser colocados nas comunas.Estes técnicos vão dispor de viaturas e motorizadas para se poderem deslocar a áreas de mais difícil acesso e transmitir conhecimentos aos agricultores.
Esta época agrícola, referiu, são esperados resultados animadores devido à cuidada preparação que tem tido. Antes da abertura oficial da campanha, em Novembro, o Ministério da Agricultura distribuiu cerca de 700 toneladas de semente de milho e 30 de batata rena e o governo provincial forneceu 25 toneladas de sementes deste tubérculo.
Na campanha agrícola de 2011, no âmbito do Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural, o Instituto de Desenvolvimento Agrário assistiu 529 associações, com 25.667 elementos, 107 cooperativas, com 6.040 sócios, 1.277 aldeias, com 127.848 habitantes, e 1.067 agricultores isolados da província.

Tempo

Multimédia