Províncias

Cheias ameaçam cidade do Sumbe

Casimiro José| Sumbe

As chuvas que se abateram nos últimos dias sobre a cidade do Sumbe, no Cuanza-Sul, podem criar  transtornos aos munícipes, com maior incidência ao bairro da Praia, onde proliferam construções nas imediações da foz do rio Cambongo.

Cidade do Sumbe pode ser afectada pelas cheias
Fotografia: Fernando Camilo| Edições Novembro| Sumbe

Desde as primeiras horas de terça-feira, uma equipa multisectorial, chefiada pelo  vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Demétrio Selpúveda, continua a trabalhar para o assoreamento da foz para permitir  a evacuação da água para o mar. A medida visa evitar que as  1.300 pessoas que vivem no bairro da Praia vivam momentos difíceis nos próximos tempos.
Homens e máquinas estão empenhados para se evitar o pior, com realce aos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, uma vez que se prevêem mais chuva na região, o que pode criar embaraços aos habitantes das zonas consideradas críticas.
O vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas fez saber que desde 2015 o Governo da província já providenciou um espaço e respectivo loteamento para os moradores do bairro da Praia algo que não foi acatado. “Já identificámos e loteámos um espaço para a inserção das famílias afectadas pelas chuvas”, disse.

Tempo

Multimédia