Províncias

Colheitas registam bons resultados

Manuel Tomás | Sumbe

O chefe de departamento provincial do Instituto de Desenvolvimento Agrário, IDA, no Kwanza-Sul, Manuel Alexandre, garantiu que a ligação das famílias camponesas, associações e cooperativas agrícolas com os serviços de assistência técnica, em todos os municípios, permitiu o êxito da campanha agrícola 2010/2011.

O chefe de departamento provincial do Instituto de Desenvolvimento Agrário, IDA, no Kwanza-Sul, Manuel Alexandre, garantiu que a ligação das famílias camponesas, associações e cooperativas agrícolas com os serviços de assistência técnica, em todos os municípios, permitiu o êxito da campanha agrícola 2010/2011.
Iniciada em Setembro do ano passado, a campanha agrícola 2010/011 já permitiu a produção de mais de 811.619 toneladas de mandioca, 167.083 de milho, 24.692 toneladas de banana, 18.772 de feijão comum, 51.176 de hortícolas e 23.000 de amendoim.
Um informe a que o Jornal de Angola teve acesso dá a conhecer que foram igualmente produzidas 15.348 toneladas de batata rena, 12.934 de abacaxi e 511 de feijão macunde, numa campanha em que estiveram envolvidos mais de 127.848 famílias e 1.067 pequenos agricultores, distribuídos em 1.277 aldeias, que cobriram uma área de 2.032 hectares.
Manuel Alexandre disse que durante a campanha, entre outras tarefas, procedeu-se à montagem de campos de demonstração e vulgarização da utilização do adubador/semeador manual, assim como a monitoria em todos os municípios, para avaliar a execução do Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural e acções de fomento.


Crédito de campanha

O responsável do IDA referiu que na campanha agrícola 2010/2011 a Empresa de Mecanização Agrícola, Mecanagro, desbravou uma área de mais de 225 hectares, enquanto os agentes privados outros 20.881 hectares, sobretudo nos municípios da Cela e Quibala. No total, foram semeados, com recurso à tracção animal, 5.550 hectares e outros 615.997 manualmente. 
O director do IDA informou, por outro lado, que, desde que foi lançado, em Fevereiro, o crédito de campanha já beneficiou mais de 127.848 famílias, com mais de 859 milhões de kwanzas.
O crédito de campanha está a possibilitar o aumento dos níveis de produtividade e o alargamento das áreas de cultivo, reconheceu Manuel Alexandre, notando, no entanto, que o maior constrangimento prende-se com o estado de degradação das vias de comunicação, dificultando o escoamento dos produtos do campo para os principais mercados. 
O responsável acrescentou que o Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural assistiu, durante a campanha, 529 associações e 107 cooperativas na província do Kwanza-Sul.

Tempo

Multimédia