Províncias

Comuna do Gungo em crescimento

Manuel Tomás| Gungo

A comuna do Gungo, no município do Sumbe, província do Kwanza-Sul, conhece nos próximos tempos um impulso no seu desenvolvimento socioeconómico, com a reparação da estrada que liga a localidade ao Eval Guerra, disse o administrador Matias Francisco.

Máquinas e homens não param de trabalhar com o objectivo de mudar a imagem daquela comuna da província do Kwanza-Sul
Fotografia: Fernando Camilo

A comuna do Gungo, no município do Sumbe, província do Kwanza-Sul, conhece nos próximos tempos um impulso no seu desenvolvimento socioeconómico, com a reparação da estrada que liga a localidade ao Eval Guerra, disse o administrador Matias Francisco.
“A reparação da via, numa extensão de 35 quilómetros de terra batida, muito acidentada, vai ajudar a minimizar as dificuldades por que passam viaturas e motociclos”, disse o administrador.
O responsável acrescentou que o desenvolvimento da localidade, com grande potencial na criação de aves, gado caprino, bovino e suíno, bem como na produção de banana, milho, mandioca, entre outros, tem conhecido altos e baixos.
A falta de escoamento, causada pela acentuada degradação da principal via de ligação entre o entroncamento do Eval Guerra e a sede da comuna, é considerada uma das grandes dificuldades dos agricultores.
Matias Francisco disse que o estado da via obrigou à transferência para o próximo ano de várias acções constantes do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza.
Entre as obras a transferir destacam-se a construção de um centro materno-infantil, que está a ser edificado no Eval Guerra, e um sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável, no Sumbe.
Com vista a alterar o cenário e impulsionar o desenvolvimento, o governo da província, disse,contratou uma empresa para, no prazo de três meses, reparar a estrada com trabalhos de terraplenagem, melhoria do escoamento de águas pluviais ao longo da estrada, limpeza das bermas e outros trabalhos.

Boas perspectivas

“Uma vez concluída a reabilitação dos 35 quilómetros, a comuna vai conhecer grandes benefícios”, disse o administrador comunal do Gungo.
Matias Francisco realçou que o desenvolvimento da comuna começa com a melhoria da via de acesso, o que viabiliza os projectos dos empresários a nível daquela localidade do Sumbe.
No sector da Educação, Matias Francisco reconheceu existir um défice em termos de professores e salas de construção definitiva, principalmente nas aldeias distantes da sede comunal.
 Nessas aldeias longínquas, disse, ainda existem muitas crianças sem estudar e outras a receber aulas ao relento ou em locais sem as mínimas condições para garantir o ensino e aprendizagem.  A comuna do Gungo dispõe, neste momento, de 71 professores para 2.750 alunos matriculados no ensino primário e distribuídos por 15 escolas, das quais apenas quatro são de construção definitiva.
Para a cobertura total da comuna, o administrador disse que aquela parcela da província do Kwanza-Sul precisa de mais 31 professores, que permitem a inserção de 1.141 crianças em idade escolar.
 Uma das perspectivas, apontou, prende-se com a construção de uma escola para o primeiro ciclo do ensino secundário.

Tempo

Multimédia