Províncias

Conda celebra aniversário com alegria

Casimiro José | Conda

A vila da Conda, sede do município com o mesmo nome, na província do Cuanza Sul, celebra, hoje, 97 anos da sua elevação à esta categoria, com os olhos postos no desenvolvimento, a julgar pelos vários projectos de impacto social em curso na circunscrição. 

Sede da administração municipal vai ser reabilitada e ampliada no quadro do Programa Integrado de Desenvolvimento Rural
Fotografia: Casimiro Pedro

A 15 de Agosto do longínquo ano de 1918 foi construída a primeira casa comercial, enquanto a edificação de casas definitivas começou dez anos mais tarde, ou seja, em 1928. A 13 de Dezembro de 1965, foi criado o Concelho da Conda, pela Portaria nº14061, desanexando-se do Seles, do qual dependia administrativamente.
Com o alcance da paz em 2002, o município sofreu grandes transformações, nos mais variados domínios, o que permitiu melhorar a qualidade de vida das populações. 
Com os investimentos feitos, a vila da Conda vai ganhando uma nova imagem, muito diferente da do passado, com o trabalho abnegado das autoridades e dos seus habitantes. Apesar de alguns constrangimentos ligados à actual conjuntura, os indicadores são promissores.
Para assinalar os 97 anos de existência da Conda, os naturais e amigos residentes no município e noutras regiões da província e do país vão reflectir sobre o passado e futuro da vila.

Acções em curso

O administrador municipal, Fernando Barbosa Fonseca, disse ao Jornal de Angola que são vários os ganhos obtidos desde que o país alcançou a paz efectiva, em 2002. Sublinhou, entretanto, que, apesar dos esforços, há ainda muito por fazer para que a região atinja o desenvolvimento pleno.Referiu as melhorias que a vila da Conda tem registado nos últimos anos, com a execução das obras de requalificação dos edifícios, passeios, lancis e do sistema de iluminação pública, na sede e arredores.Actualmente, decorrem trabalhos de ordenamento urbano, com o cadastramento dos edifícios degradados.
Nos próximos tempos, está prevista a construção do sistema de captação e distribuição de água potável, obra a ser executada pelo Ministério da Energia e Águas.
Fernando Fonseca salientou que as acções da Administração Municipal da Conda vão incidir também na extensão da rede sanitária, para permitir maior acesso da população à assistência médica e medicamentosa, na construção de sistemas de abastecimento de água potável, nas comunidades rurais, e no fomento do sector produtivo, que representa o “cavalo de batalha” para o programa de combate à fome. O administrador considerou excelentes os resultados do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Fome e Pobreza, que permitiu melhorar a qualidade de vida das populações.
“Este programa está a contribuir para o desenvolvimento da região, por isso estamos satisfeitos com os resultados alcançados”, frisou, acentuando que os sectores da Saúde e da Educação são os que mais se destacam. Garantiu também a continuidade das obras de construção da sede administrativa da comuna do Cunjo e a segunda fase das obras do Comando Municipal da Polícia Nacional.
Destacou ainda a preparação de 1500 hectares de terras aráveis para o fomento da agro-pecuária, nas comunidades de Maria Helena, e de 1000 hectares para a produção de arroz na mesma região, a aposta na formação de quadros em diversas áreas, a reabilitação do centro turístico da Tocota, a promoção da auto-construção dirigida e do fomento de actividades desportivas e culturais.

Rede viária e energia eléctrica

A reabilitação das principais estradas que ligam a sede do município às localidades da Gabela, no município do Amboim, e do Úko-Seles, sede  municipal do Seles, constitui uma das prioridades da administração, para melhorar a circulação de pessoas e de mercadorias.
As obras de reabilitação da estrada que liga a sede municipal à comuna do Cunjo, com uma extensão de 36 quilómetros, vão imprimir outra dinâmica às trocas comerciais e, consequentemente, ao desenvolvimento da região. O ritmo das obras aponta que até 2017 o município vai estar ligado por estradas completamente reabilitadas e asfaltadas.
O administrador disse que as autoridades locais e população aguardam com expectativa a execução, pelo Ministério de Energia e Águas, do projecto de construção da linha de baixa tensão, a partir da cidade da Gabela, já aprovado, que arranca nos próximos tempos.
Fernando Fonseca considerou ser este o momento oportuno para os investidores nacionais e estrangeiros aplicarem os seus recursos no desenvolvimento da região e garantiu total apoio para a execução dos projectos.

Tempo

Multimédia