Províncias

Conda com grandes sinais de desenvolvimento

Casimiro José| Conda

A Vila da Conda, sede do município com o mesmo nome, na província do Cuanza Sul, celebrou a semana passada 96 anos da sua elevação à categoria de vila, desde 1918. Com o alcance da paz, em 2002, são visíveis os ganhos alcançados, sobretudo na vertente social e económica.

Um ângulo da Vila da Conda que aos poucos vai conhecendo dias melhores com a construção de várias infra-estruturas
Fotografia: Fernando Camilo|Conda

A região vai se afirmando graças ao trabalho desenvolvido pelas autoridades locais. Apesar de alguns constrangimentos conjunturais, os indicadores actuais são promissores. Há sinais evidentes de progresso.
O administrador do município, Fernando Barbosa Fonseca, disse ao Jornal de Angola que a jornada comemorativa dos 96 anos foi marcada por inaugurações de infra-estruturas sociais, como uma morgue, lavandaria, cadeia de frio para conservação de vacinas e outros equipamentos hospitalares e um centro de formação feminino.
Outras ganhos apontados pelo administrador municipal da Conda são as acções realizadas que consistiram na reparação e manutenção dos postos de saúde das localidades de Limba, Manguanda, Caúnje, Dele e da Cumbira I, aquisição de equipamentos para apetrechar as unidades sanitárias, reparação e manutenção de uma sala da maternidade.
Foram ainda concluídas as obras de construção de um centro de saúde, na sede da comuna do Cunjo, e postos sanitários nas localidades do Jombe e Gumba, além de terem sido construídos o sistemas de captação e distribuição de água, nos arredores da Vila da Conda, assim como o apetrechamento do Palácio municipal. Está previsto para dentro de pouco tempo o início das obras da sede administrativa da comuna do Cunjo e o arranque da segunda fase da construção do comando municipal da Polícia Nacional.No concernente ao Programa Água Para Todos, está em curso a construção do sistema de captação e fornecimento do precioso líquido e abertura de furos artesianos, sobretudo no meio rural.
A autoridades locais prevêem a reabilitação do centro turístico da Tocota e promover a auto construção dirigida, além de massificar actividades desportivas e culturais.

Rede viária

A reabilitação das principais estradas que ligam a sede do município às localidades da Gabela, no município do Amboim e do Úko-Seles, sede do município do Seles, constitui a mola impulsionadora para as trocas comerciais e o relançamento da actividade agro-pecuária pela classe empresarial que opera na região.
O administrador do município, Fernando Barbosa Fonseca, destacou a reabilitação da estrada que liga a sede municipal à comuna do Cunjo, num troço de 36 quilómetros, que considerou um dos factores que vai imprimir outra dinâmica ao desenvolvimento do município, tendo em conta o seu potencial agro-pecuário.  Até 2017, o município vai estar ligado por estradas à outras regiões do país, disse.

Falta de energia

As autoridades e habitantes do município aguardam com ansiedade a implementação, pelo Ministério de Energia e Águas, do projecto de construção da linha de baixa tensão a partir da cidade da Gabela, aprovado muito recentemente.
O administrador admitiu que o desenvolvimento do município passa necessariamente pela resolução do problema de energia eléctrica.
Apesar destes condicionalismos, Fernando Barbosa Fonseca considera ser o momento propício para os investidores nacionais e estrangeiros apostarem no município e garantiu prestar todo o apoio a todos os que queiram contribuir para o desenvolvimento da região. O relançamento da produção do café também carece de investimentos.
No município da Conda está a ser feito o cadastramento das 83 fazendas médias e 52 outras, vocacionadas para a produção do café, mas grande parte delas não funciona como desejado, por falta de recursos por parte dos seus proprietários.

Turismo quase nulo

O município da Conda dispões de potencialidades turísticas reconhecidas e se forem melhor aproveitadas podem gerar riqueza e empregos para os seus  76.942 habitantes.  Apesar do fraco investimento neste sector, muitos turistas nacionais e estrangeiros afluíram aos locais, sobretudo às Cachoeiras do Binga, Tocota e Piscina municipal.

Saúde e educação

Os sectores da Saúde e da Educação do município da Conda conheceram grandes melhorias, nos últimos tempos, fruto dos esforços da administração municipal e do governo da província.
A rede sanitária compreende 30 unidades, sendo um hospital municipal, com 76 camas, um centro materno com 30 camas, dois centros médicos, 29 postos de saúde e um corpo clínico composto por dois médicos, 48 enfermeiros, um técnico de laboratório e pessoal auxiliar.
As principais doenças na região são a malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas, entre outras. A rede escolar é actualmente composta por 29 escolas, das quais 27 do ensino primário e uma do I e II ciclos. Os alunos beneficiam do programa merenda escolar.
O município da Conda tem uma superfície de 2.090 quilómetros quadrados. Administrativamente está dividido por duas comunas, sendo a sede e a do Cunjo e duas áreas administrativas,  Assango II e Jombe.

Tempo

Multimédia