Províncias

Conselhos combatem os riscos de desintegração dos lares

Carlos Bastos | Sumbe

Os participantes ao 17º Conselho Provincial do Cuanza Sul da Família e Promoção da Mulher, realizado quinta-feira, na cidade do Sumbe, recomendaram aos pais e encarregados de educação que assumam o seu papel com mais responsabilidade, com vista à formação de uma juventude dotada de comportamentos dignos.

Conselho Provincial abordou vários assuntos que visam a criação de mecanismos eficientes para a valorização das famílias na região
Fotografia: Fernando Camilo | Sumbe

O Conselho Provincial da Família, que visa saudar o 15 de Maio, Dia Internacional da Família, decorreu sob o lema “Promovamos nas famílias, comunidade e instituições os valores morais, cívicos, culturais e patrióticos” e foi orientado pela vice-governadora para o sector político e social, Maria de Lourdes Veigas.
Os participantes recomendaram igualmente que sejam evitados os casamentos precoces que envolvam menores de idade e concluíram que a sociedade poderá continuar doente se as famílias não desempenharem com zelo as suas funções educativas e sociais, que consistem na transmissão de valores positivos.
No evento, que contou com quatro painéis foi defendida, igualmente, a necessidade de se continuar a incentivar a liderança moral no seio familiar, numa perspectiva de transmissão dos valores.
“As instituições devem promover acções de sensibilização em diferentes níveis e matérias de interesse da comunidade, visando minimizar a desintegração familiar. As gerações amadurecidas devem assumir a responsabilidade pela educação dos mais novos, como meio de prepará-los para as tarefas da vida adulta e social”, recomendaram os participantes.
Recomendaram também o cumprimento das leis de probidade pública e de transgressão administrativa, de forma a desencorajar as práticas que criam situações de instabilidade na sociedade, como a violência, consumo de álcool, vandalismo, corrupção, poluição sonora, má utilização de bens públicos, calúnias e venda de bebidas alcoólicas a menores.
Os participantes recomendaram de igual modo que devem ser criados mais mecanismos melhorar as condições sociais básicas das famílias, partindo do ponto de vista das suas necessidades e não por modelos que atropelam a realidade.
Defenderam ainda a realização de campanhas de sensibilização sobre o saneamento básico, nutrição, género e outras práticas que visam o reforço do bem-estar social das famílias, bem como promover palestras e debates, para que as comunidades saibam identificar as necessidades e arranjar soluções para os seus problemas. No acto de encerramento, a directora provincial da Família e Promoção da Mulher, Maria da Felicidade Cardoso, afirmou que o encontro foi mais uma oportunidade de fazer passar a mensagem à sociedade sobre a necessidade desta adoptar uma nova atitude no cumprimento das normas de convivência social e da necessidade de buscar e promover referências e modelos de pais e famílias que inspirem os seus membros, no quadro das políticas da valorização e modernização da família e no reforço das suas competências.

Tempo

Multimédia