Províncias

Cuanza-Sul fabrica 200 botas militares por dia

Casimiro José | Sumbe

Um total de 200 pares de botas e 150 exemplares de calçado diverso são produzidos diariamente na província do Cuanza Sul, por uma fábrica com parceria público privada,  que conta com uma nova linha de fabricação modernizada.

Os funcionários são em maioria reclusos que cumprem pena na província
Fotografia: Casimiro José | Edições Novembro | Sumbe

A Caixa de Protecção Social do Ministério do Interior tem 70 por cento das acções da referida unidade fabril e os restantes 30 por cento são de uma entidade privada.
Segundo o gerente da fábrica, Eduardo Vinício, o quadro de empregados é maioritariamente constituído por reclusos que cumprem pena na província. As botas são encaminhadas para várias unidades da Polícia Nacional e o restante calçado é comercializado na província.
O Secretário de Estado para os Serviços Prisionais do Ministério do Interior, Bamoquina Zau,  disse no acto de inauguração da nova linha de produção que a entrada em funcionamento vai responder aos desafios do Executivo no domínio da reinserção social dos reclusos.
Bamoquina Zau  garantiu que a produção vai atingir níveis mais altos nos próximos tempos,  com vista à satisfação da demanda do mercado nacional. “Vamos aumentar a produção para servirmos o  sector  privado e obtermos mais receitas.

Tempo

Multimédia