Províncias

Culturas agrícolas foram danificadas por hipopótamos

Hipopótamos, em número não determinado, destruíram pelo menos seis hectares de terras com produtos agrícolas diversos nos últimos dias, na aldeia de Mbanza Futa, cerca de 50 quilómetros da cidade do Wacu Cungo, província do Cuanza Sul, informou o regedor da aldeia.

Hectares de terras com produtos agrícolas diversos foram destruídos por animais ferozes
Fotografia: José Soares

Henriques da Costa Manuel disse que a situação entristece os camponeses, porquanto as culturas de feijão, batata rena, milho e mandioca são a base da dieta alimentar.
A autoridade tradicional adiantou que os hipopótamos saem do rio Keve, tendo em conta a sua proximidade com as zonas agrícolas, e buscam alimentos e, como consequência, acabam por devorar as culturas.
O responsável provincial da divisão da fauna do Instituto de Desenvolvimento Florestal, Francisco Jaime, lamentou o facto e avançou que para solucionar a questão vão ser  realizadas campanhas de sensibilização, tendentes à construção de barreiras para não permitir que os hipopótamos voltem a causar estragos.
Francisco Jaime disse que o Instituto Florestal tem cadastradas algumas zonas nos municípios do Ebo, Cassongue e Cela com grande concentração de mamíferos que necessitam de ser classificados como reserva natural. No município do Bailundo, na província do Huambo, as associações de camponeses, num total de 26, que constituem 910 famílias, receberam terça-feira 125 cabeças de gado bovino para tracção animal, incluindo as respectivas charruas.
O gesto é da responsabilidade do Projecto de Agricultura Familiar Orientada para o Mercado (Mosap) com finalidade de incentivar os camponeses locais a aumentarem as áreas de cultivo. As 26 associações beneficiárias são constituídas por 910 famílias.
O governador em exercício da província do Huambo, Joaquim Rodrigues da Conceição, enalteceu a iniciativa do projecto, tendo afirmado que a mesma junta-se aos esforços do Governo, cujo objectivo é estimular a produção nacional. Aos camponeses, o responsável aconselhou a cuidar bem dos animais, para que os mesmos possam aumentar a produção agrícola.
O governador em exercício, Joaquim Rodrigues da Conceição, disse que a entrega dos 125 bois às associações de camponeses vai permitir monitorizar da melhor forma o rendimento das juntas, tendo recomendado à administração do município e à Extensão de Desenvolvimento Agrário a fazerem o devido acompanhamento, principalmente no que tem a ver com a saúde dos animais.

Tempo

Multimédia